Se você é trader, está operando e ainda não tem um gerenciamento de risco ou nem sabe o que é isso, pare imediatamente de operar porque perderá todo o seu dinheiro, simples assim.

A sua continuidade no mercado como trader depende visceralmente disso.

E por quê?

Porque você não é capaz de prever o que o mercado fará – nem você nem o melhor trader do mundo. Prever o futuro simplesmente não é um dom humano.

Então, mesmo que o você entre em uma operação cumprindo com rigor todos os requisitos do seu setup, o mercado simplesmente pode virar e vir contra a sua posição e estopar você.

Se você não for capaz de compreender onde é o seu stop e por que você deve deixá-lo ali, poderá sofrer perdas maiores do que imaginava e, com isso, ver ruir os seus planos de viver de trading.

O gerenciamento de risco é feito a partir de dois elementos:

 

– Pay-off

– Taxa de acerto.

 

O pay-off é, basicamente, a sua relação risco versus retorno. Uma relação 1:2 significa que para cada R$ 1,00 de risco, você estará buscando R$ 2,00 de retorno. Assim, se você está entrando em uma operação no mini-índice que tenha um alvo de 300 pontos, seu stop jamais poderá ser maior que 150 pontos.

Se você tiver um stop de 150 e quiser buscar uma relação de 1:3,  deverá buscar um alvo de 450 pontos (3 vezes o seu risco).

Sim, você não sabe se o preço irá buscar o alvo, mas você tem que selecionar muito bem a operação que irá entrar para que suas chances aumentem.

Mas somente o pay-off não ajuda muito. De nada adianta você buscar um pay-off 1:8 se nas 8 vezes você errar o trade.

Então, terá que ter também uma taxa de acerto adequada ao seu pay-off. Imagine que você acerta 90% de suas operações, mas, cada vez que acerta, ganha R$ 100,00 e na única vez que erra, perde R$ 1.000,00.

Para calcular esse números, você terá que ter operado por algum tempo para verificar qual a sua taxa de acerto e quais as relações risco x retorno possíveis dentro do ativo e tempo gráfico que você opera  (sim, cada ativo terá uma dinâmica e você terá que testar e escolher um ou dois ativos para operar).

Embora você deva escolher por si mesmo uma relação risco x retorno e um pay-off, sugerimos que comece buscando um operacional em que você consiga uma taxa de acerto de 50% e uma relação risco x retorno de 1:3.

Você deve treinar em uma conta demo por um tempo até se acostumar a manusear suas operações e procure não mudar de ativo nem de tempo gráfico (olhe os outros tempos gráfico para buscar referência dos macromovimentos, mas conduza sua operação em apenas um tempo gráfico).

Depois do treino, passe para a conta real com apenas 1 lote mínimo (1 minicontrato ou 1 lote de 100 ações). Lembre-se que você ainda está testando seu setup e sua condução e que, portanto, perderá dinheiro enquanto testa. E, já que vai perder dinheiro mesmo, que perca o mínimo possível, por isso você deve operar apenas com o lote mínimo.

Depois de operar por um mês, você terá uma massa crítica de dados suficiente para avaliar as possibilidades do seu setup.


Você gostou dessa aula? Ela faz parte do Plano TNT, o plano educacional do Portal do Trader desenvolvido para quem quer operar na Bolsa de Valores, mas já entendeu que não existem fórmulas mágicas nem soluções milagrosas para o mercado.

Se já ficou claro para você que o único caminho viável para resultados consistentes na Bolsa é através do conhecimento e do compromisso, então, chegou a hora de conhecer os benefícios do acesso completo ao nosso Plano.

O Plano TNT não possui paralelos em abrangência, profundidade, metodologia e experiência dos professores e oferecemos tudo isso por um preço extremamente acessível e sem fomentar ilusões. Se essa ideia faz sentido para você, descubra agora mesmo tudo o que o acesso completo ao Plano TNT oferece.

Avaliações da aula:
4,9 (180)
assista o vídeo até o fim para avaliar

Publicação: 22/10/2020 14:00
Atualização: 05/10/2020 17:32