Boi de costas - Put Ratio Backspread

Consiste numa trava de alta com put e a compra a seco de put de mesmo strike da posição comprada da trava. O “Boi de costas” também é uma operação de compra de volatilidade, porém de viés baixista. Tem exatamente as mesmas características do boi, ou seja, lucro infinito em caso de queda forte dos preços da ação, pequeno prejuízo (ou pequeno lucro, se a operação tiver sido no crédito) em caso de alta dos preços da ação e prejuízo limitado em caso de preços “de lado”. A proporção mais comum também é a 1:2, ou seja, vendem-se 100 puts bem ATM e compram-se 200 puts ligeiramente ITM, por exemplo. O aumento dessa proporção aumenta o custo e o prejuízo máximo, mas potencializa o lucro. Já o aumento da diferença entre strikes também causa diminuição do custo – podendo ser uma operação no crédito – diminuição do lucro, mas necessita de queda muito forte para ser vencedora (distanciamento do break even em relação ao preço da ação). Exemplo de “boi de costas”, também usando as cotações de fechamento do pregão de 25/11/2020, tendo PETR4 encerrado o dia a R$26,25.

  1. Venda de 100 PETRM253 (strike R$27,25) a R$2,37 recebendo R$237,00
  2. Compra de 200 PETRM262 (strike R$26,25) a R$1,58 pagando R$316,00

Custo da operação: R$79,00

O prejuízo máximo é calculado como no boi, ou seja, multiplica-se a quantidade de opções vendidas pela diferença de strikes, somando-se o que pagou pra montar (ou subtraindo-se o que recebeu, em caso de operação no crédito). Nesse caso, o prejuízo acima será de R$179,00.