A tradução da palavra Breakout (desobstrução) remete àquilo que, graficamente, chamamos de rompimento. Segundo dicionários da língua portuguesa, romper significa criar uma abertura ou passagem à força, penetrar, passar para o outro lado.

Essa simples definição de português serve para o trader entender que um breakout só ocorrerá quando o preço romper uma barreira que, no caso de análise gráfica, são os conhecidos suportes e resistências.

Colocado dessa forma, fica fácil identificar um breakout.

Além das regiões de teste de preço, são também suportes e resistência as cabeças de pivot e as congestões de preço.

Na congestão: os preços começam a trabalhar em um intervalo bastante estreito por um longo período, pelo menos 6 candles, mas, quanto mais tempo o preço ficar congestionado, um forte rompimento fica cada vez mais provável. Nessa situação, se você colocar no gráfico o indicador Bandas de Bollinger, verá que, ao longo da congestão, as bandas se estreitam (setup conhecido pelo nome de Boca de Jacaré).

No pivot: seja de alta, seja de baixa, os preços entram em tendência e todas as vezes que o preço faz uma correção e volta a seguir seu caminho (para cima ou para baixo), poderá romper o último topo (ou fundo) deixado no gráfico.

Nos suportes e resistências comuns: o preço alcança o nível de suporte ou resistência e simplesmente rompe esse nível de preço e inicia a sua trajetória deixando o ponto rompido para trás.

Pois bem, definido o movimento, temos agora que caracterizar a diferença entre rompimento e violação.

A violação é quando o preço ultrapassa o ponto de resistência ou suporte, mas volta para trás, deixando um pavio no ponto em que deveria romper. Já o rompimento é quando o candle tem o seu fechamento além do ponto de suporte e resistência.

 

 

Uma vez identificado o breakout, devemos agora a aprender como operá-lo.

Todo e qualquer breakout, seja ele de range, de pivot ou de suporte e resistência, terá uma taxa de acerto bem maior se houver uma relação de risco x retorno de 1:1, ou seja, você arrisca 1 candle para buscar 1 candle. O rompimento será estatisticamente mais eficiente se vier acompanhado de um volume maior do que a média dos candles anteriores ao rompimento (pode ser volume financeiro ou quantidade – tanto faz).

Se você quiser alongar a operação, poderá realizar uma parcial no 100% de alvo e conduzir pela mínima de cada candle até ser retirado pelo mercado.

Rompimentos são movimentos explosivos e direcionais, usualmente de curta duração. Se o mercado fizer uma sequência de candles grandes, com pouco ou nenhum pavio, esse rompimento tenderá a ir mais longe.

Exemplo – Boca de Jacaré

No exemplo a seguir, temos duas ocorrências do setup Boca de Jacaré.

Note que as Bandas de Bollinger (na sua configuração padrão – 20 períodos com 2 desvios) estreitam-se e são rompidas com candles de força (corpo grande, pouco ou nenhum pavio).

A entrada se dará no rompimento da mínima (no caso de venda) ou da máxima (no caso de compra) do candle que rompeu.

O primeiro alvo fica a 100% do tamanho do candle que rompeu, onde você poderá fazer a realização parcial de metade da sua mão.

O restante da posição poderá ser conduzido colocando uma ordem stop na mínima de cada candle (no caso de compra) ou na máxima de cada candle (no caso de venda) até o mercado acionar seu stop.

O mesmo procedimento operacional poderá ser usado nos outros tipos de breakout.