Robô nada mais são do que programas feitos para facilitar a nossa vida, seja para automatizar ordens que nós poderíamos executar ou para possibilitar execuções impossíveis para as habilidade motoras humanas. Com essa definição já dá para se notar que existe uma infinidade de robôs e a imaginação do operador é o limite, então o intuito dessa aula não é catalogar essas inúmeras possibilidades, mas ajudá-lo a desenvolver um senso analítico para eventualmente notar a atuação de algum robô que gere insights para as suas operações.

Nas aulas anteriores citamos algumas vezes os robôs VWAP e TWAP, pois são os mais comuns para agredir ordens grandes, juntamente com as ordens icebergs (podemos considerar como um robô também), comuns para posicionar ordens grandes. Então, para tornar essa aula mais concreta vou citar alguns exemplos de variações desses robôs que já me deram boas oportunidades.