As vantagens de ser sócio

Dividendos! A palavra mágica que justifica a motivação de todo investidor de longo prazo.

O dividendo é a parcela do lucro da empresa que é distribuída a seus acionistas na proporção das ações que possuem.

Fica fácil entender quando usamos como exemplo um negócio próprio. Imagine que você abriu uma padaria em uma boa localização de sua cidade. Depois de um tempo de empresa aberta, ela começa a dar lucro, ou seja, seu faturamento total, descontadas todas as despesas e impostos, gera um excedente de capital.

Esse capital que está sobrando chama-se lucro e você, como proprietário da empresa, pode dar a destinação que quiser a esse lucro. Você pode, por exemplo, pegar parte desse lucro e aplicar em investimentos financeiros, pode pegar uma parte para trocar de carro e outra para viajar com a família, ou pode, ainda, usar todo ou parte daquele capital para reinvestir no próprio negócio, o que fará com que sua padaria cresça e, no futuro, gere lucros ainda maiores.

Esse é, exatamente, o princípio dos dividendos. Por lei, uma empresa negociada na Bolsa deve, obrigatoriamente, distribuir pelo menos 25% de todo seu lucro anual a seus acionistas.

A empresa poderá fazer essa distribuição anual, semestral, trimestralmente ou com a periodicidade que definir em seu estatuto.

O investidor que acumula ações para viver de renda passiva tem, nos dividendos, seu grande objetivo. Com a estratégia certa, ele será capaz de obter uma renda perpétua, tendo ou não um trabalho formal.

A vantagem da construção de uma carteira de dividendos é que, se o investidor começar cedo, poderá fazer aportes menores, pois os juros compostos trabalharão a seu favor.

Para montar uma carteira desse tipo, o investidor tem que ser capaz de analisar as empresas a partir de seus fundamentos econômicos e também por suas estratégias. Só assim ele poderá selecionar as ações que farão parte do seu portfólio de longo prazo.

Luis Barsi e Warren Buffet são exemplos de investidores que realizam esse tipo de estratégia baseada em análise fundamentalista e aportes por longos períodos.