Como investir em ações

Antes de investir em ações, você terá que se decidir por onde irá fazê-lo. Por Lei, toda e qualquer negociação deverá ser feita através de uma corretora ou Banco. Ninguém pode comprar e vender ações diretamente na B3.

Apesar das facilidades apresentadas, o investimento realizado através de Bancos comerciais costuma ser taxado por valores razoavelmente altos, o que pode comprometer a rentabilidade dos investimentos realizados com pouco capital.

A melhor forma de investir em ações sempre é através de uma Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (CTVM), que, além de apresentar taxas bastante atrativas, oferece a seus investidores uma enorme quantidade de ferramentas, instrumentos de apoio à tomada de decisão e algumas delas disponibilizam a seus clientes uma assessoria de investimentos sem custo adicional.

O processo de abertura de conta em corretora é bastante simples, praticamente idêntico ao processo de abertura de uma conta corrente em qualquer Banco.

Uma vez aberta a conta, é hora de escolher o investimento que melhor atende à sua necessidade como investidor.

Para a compra de ações, há basicamente duas formas: a compra direta e a compra através de Fundo de Investimento em Ações (FIA). Ambas as formas apresentam vantagens e desvantagens.

Investimento direto

Essa é a forma pela qual você pode comprar diretamente as ações de seu interesse. Pode comprar uma única ação, um lote de 100 ações ou quantas ações quiser. Se quiser formar uma carteira de ações, divida seu capital entre diversas delas, o que ajuda a mitigar riscos setoriais.

Vantagens

A primeira grande vantagem do investimento direto em ações é que você pode elaborar a estratégia que quiser, sem ter que limitar suas escolhas e prazos de resgate.

Pode comprar uma ação e vender até mesmo depois de alguns minutos, se quiser. Ou pode ficar com elas alguns dias, semanas ou até meses, desfazendo-se de parte dela ou vendendo toda a sua carteira. A palavra aqui é autonomia. Quando você investe diretamente em ações, tem liberdade de escolha quanto a prazos, quantidades e ativos que quiser escolher para compor a sua carteira.

Além disso, o processo de compra de ações, seja para especulações de curto prazo seja para investimentos mais longos, exigirá de você estudo e dedicação, e isso representa mais autonomia, ou seja, seu investimento não estará sujeito às decisões de um analista porque você mesmo, depois de algum tempo de estudo, será capaz de analisar o mercado, as ações e tomar suas próprias decisões de investimento.

E finalmente, a carteira é sua, ou seja, você a compõem com os ativos que quiser, algo que não acontece quando se investe através de Fundo de Investimentos em Ações.

Desvantagens

Como em qualquer tipo de investimento, as ações também apresentam algumas desvantagens. Você terá que pagar os custos de corretagem e emolumentos, além de ter que declarar cada uma de suas ações compradas e negociadas ao imposto de renda. Em um Fundo de Investimento em Ações, você tem que declarar apenas as suas cotas do Fundo, sem ter que discriminar as ações que existem lá dentro.

Além disso, manter uma carteira de ações dá trabalho. Você tem que fazer análises, acompanhar a evolução das empresas que fazem parte da sua carteira e estudar com bastante frequência.

Isso tudo irá exigir de você paciência, disciplina e capacidade de análise, sem deixar que as emoções o afetem na eventualidade da ocorrência de algum evento sistêmico que faça suas ações perderem valor, ainda que temporariamente.

Investimento através de Fundos

A segunda forma de se investir em ações é através da compra de cotas de um Fundo de Investimento em Ações (FIA).

Existem inúmeros FIA para você escolher e, se estiver em uma corretora, poderá ter acesso aos FIA de diversos Bancos, o que não acontecerá se você investir através do seu Banco, que apresentará a você somente seus próprios Fundos.

Os Fundos de Ações são carteiras já prontas, com diversos ativos escolhidos por analistas que trabalham para a empresa gestora do Fundo. Sendo um produto comercial "empacotado", o Fundo é feito para atender perfis específicos de investidores e, por essa razão, existirão diversos tipos de Fundo para você escolher.

Como qualquer produto de investimento, um FIA apresenta vantagens e desvantagens.

Vantagens

Se você não quer se preocupar em montar uma carteira ou não possui o capital necessário para comprar todo o conjunto de ações que deseja, o Fundo de Ações pode ser a resposta para as suas necessidades de investimento.

O investimento em ações individuais implicará custos de corretagem e emolumentos cobrados todas as vezes que você comprar ou vender, algo que não ocorre nos Fundos.

Outra grande vantagem dos Fundos é que você não precisará estudar as empresas individualmente. Haverá gestores profissionais, todos com ótimas certificações profissionais, que os habilitam a escolher as ações que melhor refletem a estratégia do Fundo.

Você precisará apenas conhecer seu perfil como investidor e procurar um Fundo cujos objetivos atendam sua estratégia de investimento.

Desvantagens

Todas as vantagens apresentadas pelos Fundos de investimento não saem de graça. Os Fundos cobram de seus clientes taxas de administração, que consumirão uma parte de sua rentabilidade. Nada mais justo. Afinal, um time de excelentes gestores trabalha para que o desempenho do Fundo atenda seus objetivos e eles precisam ser remunerados por seu trabalho.

Outra taxa que comumente é cobrada é a taxa de performance. Funciona assim: o gestor do Fundo escolhe um índice de referência, que, no caso da maioria dos Fundos, é o Índice Bovespa.

Os gestores farão a administração do Fundo de modo a tentar superar a variação daquele indicador. Todas as vezes que o rendimento do Fundo superar a variação da referência escolhida, aquilo que ultrapassar em rendimento será descontado na taxa de performance.

Outras desvantagens que os Fundos apresentam são a limitação do aporte mínimo, que variam bastante de Fundo para Fundo, e também os prazos mínimos de resgate, o que implica perda de liquidez.

Conclusão

Como vimos, ambas as formas de investimento apresentam vantagens e desvantagens. Cabe a você escolher aquela que melhor atende seus objetivos, capacidade de aporte, perfil de investidor e tempo disponível para estudar e cuidar dos investimentos.

O mais importante é você ter uma estratégia e realizar aportes constantes para construir um patrimônio de longo prazo e que, no futuro, ofereça uma renda passiva ou um grande capital para que possa desfrutar dos benefícios de um bom investimento.