Muitos querem ser traders, poucos conseguem. E há uma razão muito clara por trás disso. São poucos os que estão dispostos a pagar o preço do empenho, das muitas renúncias ao longo da jornada, da dedicação e do constante aprendizado.

Grande parte das pessoas que, ao descobrirem o trading, manifestam o desejo de enveredar por este caminho, acredita que um bom curso técnico e alguns meses de prática serão suficientes para transformar alguém em trader profissional. Alias, existem dois tipos de trader profissional: aquele que trabalha em Bancos, nos grandes Fundos e nas Assets, e também aquele trader que é conhecido como Trader de Varejo – a pessoa física que utiliza seu próprio capital para, através da atividade, obter o seu sustento ou capital para investimento.

Diferente do trader de varejo, os profissionais que trabalham para grandes instituições devem necessariamente passar por um processo de certificação, candidatar-se à uma vaga de estágio e seguir um plano de carreira. Passarão também por um período de treinamento e seguidas avaliações - algo muito parecido com o desenvolvimento de qualquer outra profissão.

Para o trader de varejo a realidade é um pouco diferente. Ele não terá um gestor, não terá que buscar emprego nem responder à uma estrutura hierárquica. Seu único compromisso é consigo mesmo. Suas reuniões de feedback ocorrerão em sua própria mente, sendo ele mesmo atuando como gestor e como funcionário. Todo resultado que tiver, bom ou mau, será de sua única e exclusiva responsabilidade.

O fato é que, para se dedicar à essa atividade de maneira bem sucedida, não basta o desejo, um curso e alguma prática. É preciso muito mais.

Se pudermos estabelecer um paralelo com o empreendedorismo – que é uma outra atividade à que as pessoas se dedicam para dali retirarem seu sustento e eventualmente enriquecerem – muitas são as exigências para que os objetivos do empreendedor sejam alcançados. Ele precisará estudar ou, preferivelmente, já possuir alguma vivência no mercado onde quer atuar. Aqueles que não a tem, geralmente compram uma franquia, que é um jeito de se pagar pela experiência de alguém.

Ele também precisará de capital. Ninguém começa uma padaria sem dinheiro, ninguém começa um carrinho de pipocas sem dinheiro. E ninguém se aventura a empreender sem ter o capital para sustentar sua família enquanto o negócio não dá certo.

Ele também terá que entender de finanças, marketing, vendas, gestão de pessoas, direito trabalhista, logística, atendimento ao cliente e inúmeros outros saberes sem os quais ninguém terá sucesso na atividade empresarial.

A atividade do trader é exatamente como qualquer outra atividade cujo objetivo seja obter lucro, tirar o próprio sustento e, se tudo der certo, enriquecer. Dessa forma, a primeira tarefa do aspirante a trader é enxergar essa atividade como uma empresa e a si mesmo como um empreendedor.

Assim como o comerciante do nosso exemplo, ele também precisará de capital para começar. E não só para começar, mas também para tocar o seu negócio. O dinheiro é a matéria prima do trader do mesmo modo que a farinha o é para o padeiro. É do adequado uso do capital que ele extrairá seu lucro, fazendo crescer este capital a um ponto em que ele seja fonte de sustento e também fonte de renda para geração de mais capital.

Alias, capital suficiente é decisivo principalmente no início da atividade, enquanto se aprendem as coisas necessárias ao desenvolvimento profissional. Tentar enveredar pelos caminhos do trading sem ter uma fonte de renda alternativa e, pior, com dinheiro limitado, coloca o trader em uma situação de vulnerabilidade tão grande que suas chances de fracasso aumentarão significativamente.

Ele também terá que aprender diversas coisas além da análise técnica ou do tape reading. Estas, aliás, são meras ferramentas para tomada de decisão – não são elas que fazem o sucesso de um trader. Ele tem que conhecer seus pilares, desenvolver seu DNA operacional, aprender um pouco de estatística, matemática, gestão financeira, gestão de risco, economia, política, finanças, psicologia e tudo o mais que tenha uma influência direta ou indireta no dia a dia de sua atividade profissional.

Por essa razão o trading exige preparo. Não é preciso ter um dom nato nem muita sorte, mas seguramente é fundamental estar muito bem preparado. Lembre-se que você estará competindo com as melhores e mais bem preparadas mentes do mercado, e que essas mentes trabalham para empresas que possuem milhões de dólares disponíveis para movimentar o mercado.

Você terá que se sobressair, estar e manter-se acima da média. E para isso, exige-se conhecimento, esforço, vivência, contatos, apoio, pessoas, treino, estudo e muito mais.

De todos os que conseguem viver da profissão, muito poucos são os que realmente se sobressaem. E não é porque possuem um dom especial ou nasceram com o rosto voltado para o sol nascente. Os primeiros lugares no pódio dos campeões é reservado àqueles que realmente se empenharam, não desistiram nem retrocederam, que sacrificaram seu lazer e seu capital em prol da realização de um objetivo. O sucesso tem um preço e este preço é bastante caro. Se quiser alcançá-lo, terá que estar preparado.

Não existe uma receita pronta para o sucesso, mas se você não criar um comprometimento consigo mesmo, dificilmente conseguirá se desenvolver a ponto de destacar-se no mercado.

É portanto fundamental, antes de decidir se tornar um trader profissional, que você saiba exatamente o que lhe espera e veja se está disposto a pagar o preço. Isto não é exclusivo da profissão de trader. Quantos são os aspirantes à jogadores de futebol, e quantos realmente chegam aos times profissionais? E, destes, quantos são os que se destacam?

Toda profissão apresenta essas exigências e todos os profissionais passam por esses filtros. Por sorte, o sucesso depende muito mais de esforço, disciplina, motivação e persistência do que de um dom divino especial. Esforce-se com inteligência e você chegará onde deseja.