Como se tornar um trader é uma questão que passa pela cabeça da maioria das pessoas que entram em contato com o fascinante mundo dos investimentos. O início é sempre muito parecido: a leitura de um livro, os comentários de um amigo ou uma postagem nas mídias sociais despertam a pessoa para a renda variável. Em pouco tempo descobre-se que é possível viver de trading e então a pessoa começa a cultivar a idéia de seguir a profissão de trader.

Inicia-se então o processo de aprendizagem que, na grande maioria dos casos, é bastante tortuoso. E isso acontece porque o iniciante se depara com uma enorme quantidade de conteúdos espalhados por toda a internet. Desde os inúmeros vídeos no Youtube até fóruns especializados, o que não faltam são pessoas oferecendo conteúdo para traders iniciantes.

A grande questão é que essa enorme disponibilidade de conteúdo existente na internet pode deixar confuso o trader iniciante que, diante de tantos materiais, terá dificuldades para selecionar o que é importante ler e em que ordem. Por essa razão é importante contar com a ajuda de pessoas experientes que já passaram por todo o processo de aprendizagem e são capazes de colocar o conhecimento necessário na sequência correta e dentro de uma abordagem didática eficaz.

Aprender, aliás, exige método, disciplina e esforço por parte do estudante. O cérebro humano tem um limite em sua capacidade de absorção de novas informações – não se pode aprender tudo de uma vez. Leva-se tempo entre tomar contato com um conteúdo inédito e assimilá-lo integralmente. E para isso não basta expor-se a esse conteúdo uma única vez. É preciso repetir, estudar e treinar, não só através de leituras e vídeos, mas também de forma prática.

O volume de informações que um trader precisa conhecer é muito grande e, portanto, é fundamental dividir o processo de aprendizagem em etapas incrementais. Comece pelos fundamentos do tema que você está estudando e vá acrescentando coisas aos poucos. A pressa, no que tange ao aprendizado, é prejudicial e surte o efeito justamente contrário àquilo que se deseja. O estudo de qualidade exige o cumprimento de um método – é preciso seguir uma determinada sequência.

O trader em fase de estudos deve saber respeitar seu próprio ritmo – lembre-se que o cérebro humano é limitado em sua capacidade de atenção. Não é por outra razão que atividades que fazem uso intensivo da capacidade cognitiva requerem que períodos de trabalho sejam intercalados com períodos de repouso. Procure lembrar-se dos estudantes que prestam vestibulares – todas as recomendações são para que estudem o ano todo e, na semana das provas, relaxem. Esta recomendação tem sua razão de ser -  o conhecimento não entra na cabeça em apenas uma semana – ele é fruto de um trabalho lento, contínuo e gradual.

Um bom método para saber o que estudar é compreender de antemão quais serão os 3 pilares que darão sustentação ao seu início como trader. Eles servem para ajudar a definir a modalidade operacional, o tipo de ativo e o modo como você vai operar. Os detalhes desta escolha virão obviamente em uma etapa posterior, mas é preciso ter em mente quais são essas bases para, desde o início, direcionar seus estudos para este objetivo.

E os três pilares que sustentam a atividade do trader são:

Modalidade Operacional

A Modalidade operacional diz respeito diretamente à sua disponibilidade de tempo livre para operar e também ao seu estilo comportamental.

Não adianta você querer operar Day Trading se você tem um emprego formal em uma empresa em uma atividade que exige atenção constante ao longo do dia. Você não fará bem nenhuma das duas coisas, além de colocar seu emprego em risco. Se este é o seu caso, as únicas escolhas são as modalidades de Position e Swing Trading. As outras modalidades são para aquelas pessoas que têm tempo livre e capital suficiente para a fase de aprendizado.

Com relação a seu temperamento, ele também é fundamental para escolher sua modalidade operacional. Se você é uma pessoa que não tem muita paciência e não suporta ficar numa operação por muito tempo, opte pelo Scalp Trading ou por operações de Day Trading mais curtas. Por outro lado, se você é muito nervoso e se assusta facilmente com a volatilidade do preço, então o seu caminho é o Day Trading longo ou as operações de Swing Trading.

Embora seja possível operar em mais de uma modalidade, é vital que você comece por apenas uma delas até aprender a dinâmica do trabalho. Só então migre para as outras modalidades de acordo com seu perfil pessoal e disponibilidade de tempo.

Escolha o ativo

Uma vez definida a modalidade, é importante escolher o que você vai operar.  Há inúmeros ativos financeiros à disposição no mercado e, para cada combinação entre perfil pessoal e modalidade operacional, sempre existirão ativos adequados.  

Se você, por exemplo, prefere operar com ações, poderá fazer suas escolhas de ativos em um determinado setor econômico, ou aqueles mais expostos ao dólar, ou ao índice Bovespa. Já se você necessita de alavancagem e gosta do mercado futuro, poderá escolher entre índice, dólar, juros ou commodities. Existem ainda as operações com Opções, mercado a Termo, ETFs e até mesmo a especulação com títulos do tesouro – um verdadeiro universo à disposição do trader.

Independente de sua escolha o importante é, pelo menos no começo, especializar-se em um ou, no máximo, dois ativos para operar. Lembre-se que no início da sua trajetória como trader, o foco é o aprendizado e não é ganhar dinheiro, até porque sem o primeiro você jamais terá o segundo. Por isso é importante concentrar-se e limitar suas escolhas. Isso vai permitir você conhecer suas reações e sua capacidade operacional diante dos inúmeros eventos que ocorrem todos os dias no mercado, além de testar as diversas estratégias que irá aprender.

Técnica Operacional

Uma vez que você escolheu a modalidade e o ativo, você terá que definir a técnica de trading que faz mais sentido para você, aquela que combina com sua dinâmica pessoal e com a modalidade operacional que você escolheu.

Técnicas existem muitas, desde a leitura de fluxo passando por análise gráfica, análise técnica ou fundamentalista, sempre haverá aquela que funciona melhor para você. Mas para encontrar o seu setup, você precisará passar por todos. Afinal, só se pode escolher algo se você conhecer mais de uma opção. Então, dedique um bom tempo estudando as principais técnicas disponíveis no mercado até encontrar aquela com a qual você se sente confortável.

Cruzamento de médias móveis, Bollinger, IFR, MACD, Price Action e tantas outras, todas funcionam. Tape Reading, e Análise fundamentalista também funcionam muito bem. O segredo não está na técnica – ela é apenas uma ferramenta de tomada de decisão. Há muitas outras coisas envolvidas no trabalho como trader.

O importante, quando se começa a estudar, é ter em mente todas essas coisas e definir os caminhos pelos quais você irá conduzir seus estudos. Isso ajudará a criar foco e dar uma direção ao seu aprendizado. Além de ajudar a encontrar o caminho ótimo, este processo também se mostrará econômico já que, como todo e qualquer aprendizado, sempre haverão custos. E se você souber direcionar seus esforços pelos caminhos corretos, isso se mostrará altamente compensador no médio e longo prazos.