O que você quer aprender?

Ir

Como investir em dólar - Entenda as opções e o Passo a Passo

Neste artigo você vai entender todas as opções para se investir em Dólar, passando pelos tipos de Câmbio (turismo, comercial, etc.) e maneiras de investir em empresas e ativos americanos. Veja o que realmente vale a pena!

Trader Iniciante Mai 18, 2021

O que faz o dólar ser uma moeda de grande valor?

O dólar dos Estados Unidos é considerado a maior referência global em termos de câmbio, pois trata-se da moeda da maior economia do mundo.

Mas não estamos falando apenas de uma questão econômica, pois a cultura também pesa nessa questão.

Então, ainda que o PIB da China ultrapasse o PIB norte americano num futuro próximo, o inglês ainda será a língua mais difundida pelo mundo.

Aprenda a operar dólar e outros ativos financeiros com traders profissionais.

Além disso, tradicionalmente, os grandes acordos comerciais são feitos com base em dólar e mudar essas referências não é tão simples assim.

De volta às questões econômicas, diferentemente do câmbio brasileiro, o dólar possui séculos de história - foi criado em 1776, para financiar a guerra da independência - e até hoje a moeda norte-americana não foi dissolvida pela inflação, crises ou quaisquer outros conflitos.

Portanto, o dólar já provou seu valor com o tempo e como diria Warren Buffett, um dos maiores investidores da história: nunca aposte contra a América.

Essa frase sintetiza muito bem este país que possui uma incrível capacidade de superar adversidades.

Never bet against America (Warren Buffett)
Never bet against America (Warren Buffett)

Agora que você entende porque a moeda americana é a grande referência, que tal falarmos um pouco mais sobre como investir em dólar?

É possível investir em dólar?

Sim, é plenamente possível investir em dólar e, como veremos mais adiante, há diversas maneiras de se fazer isso.

Contudo, tenha em mente que o dólar é a unidade monetária de uma nação e será sempre cotado em relação a outra moeda.

Portanto, a valorização (ou desvalorização) do dólar sempre estará relacionada a desvalorização (ou valorização) de outra moeda.

Além disso, é bastante comum as moedas sofrerem variações cíclicas, respondendo a estímulos diversos.

Então, antes de entendermos um pouco mais essa questão, é importante entender que tipo de necessidades o investimento em dólar atende.

Para quem é recomendado investir em dólar?

Você já parou para se perguntar os motivos para se investir em dólar? As razões podem variar bastante, por isso, vou citar abaixo alguns dos principais motivos que fazem as pessoas buscarem a moeda norte-americana.

Viagem ou intercâmbio

Seja para a sonhada viagem à Disney ou uma imersão de estudos e trabalho na terra do tio Sam, é imprescindível ter a moeda norte americana em mãos, pois raramente os estabelecimentos aceitam moedas de outras nações, com exceção de comércios em zonas turísticas.

Dinheiro em cash é indispensável para qualquer viagem ao exterior.
Dinheiro em cash é indispensável para qualquer viagem ao exterior.

Diversificação de portfólio de investimentos

Se você está buscando saber como investir em dólar, deve entender que a diversificação é uma das maneiras mais eficientes de proteger o seu patrimônio, por isso, muitos investidores buscam refúgio no dólar.

Afinal, partindo da moeda norte-americana, existem diversas saídas possíveis para se investir, muito mais do que com o Real.

Segurança

Como estamos falando da moeda de uma nação economicamente forte e estável, o dólar é o porto seguro para muitos brasileiros que - sem querer entrar no mérito dessas possibilidades - temem que o nosso país possa virar uma Venezuela, ou o Governo confisque (novamente) o dinheiro do povo, ou qualquer outra especulação conspiratória que sacrifique o valor de nossa moeda.

Especulação financeira

Como estamos falando de uma moeda que é negociada em relação ao câmbio de diversas outras nações, é natural que o dólar dos EUA seja utilizado como instrumento de especulação por traders profissionais.

Então, embora a intenção destes operadores não seja necessariamente adquirir e manter uma reserva cambial na carteira, ainda assim, eles utilizam o dólar como “matéria prima” para seus objetivos financeiros.

Transações comerciais

Para aqueles que estejam importando ou exportando mercadorias e serviços, assim como captando e emitindo recursos financeiros (para produção de bens, alimentos e serviços, por exemplo), o dólar é o principal instrumento para tal finalidade.

Claro que as opções acima poderiam ser realizadas em qualquer outra moeda, então, qual o motivo do dólar ser tão atrativo?

Leia também:

Benefícios de investir em dólar

Existem diversos benefícios em investir na moeda dos EUA, pois, conforme já comentei, o dólar é a moeda mais forte do mundo (hoje) e isso gera alguns efeitos colaterais muito positivos muito interessantes, como:

Liquidez

Na maioria dos países do mundo, se há uma moeda para rápida conversão em abundância (que não seja o dinheiro da própria nação, é claro), e que seja aceita em diversos outros países, essa moeda é o dólar.

Estabilidade

Com uma economia mais estável e taxa de juros baixa, sob controle, dificilmente o dólar vai sofrer uma brusca desvalorização em relação às demais moedas do globo.

Confiabilidade

Como reflexo de sua estabilidade, o dólar é uma moeda que traz confiança a diversas nações pelo mundo, portanto, geralmente não encontra resistência no câmbio com outras unidades monetárias.

Abrangência global

Com exceção dos países que possuem algum conflito geopolítico com os EUA, o dólar geralmente é reconhecido como o principal câmbio de referência em relação à moeda daquela nação.

Eu mesmo já estive em países da América do Sul, Europa e Ásia, onde sempre encontrei uma casa de câmbio que disponibiliza dólar.

Nenhuma outra moeda no mundo tem a abrangência do dólar norte-americano.
Nenhuma outra moeda no mundo tem a abrangência do dólar norte-americano.

Variedade

Além de todos os benefícios da própria moeda, citados até agora, não podemos nos esquecer do leque de investimentos disponíveis em moeda norte americana.

Para se ter ideia, as ações brasileiras representam apenas 1% das empresas listadas no mundo.

Por outro lado, as duas principais bolsas dos EUA (NASDAQ e NYSE) representam 35% da capitalização global.

Ok, agora que estamos melhor preparados em relação às possibilidades oferecidas pelo dólar, que tal entendermos um pouco melhor sobre o seu mercado?

Mercado de compra e venda de dólar - como funciona?

Como estamos no Brasil, vou partir do princípio que você tem a moeda local (real) em mãos e  deseja trocá-la por Dólar, ok?

Neste caso, temos algumas formas de se fazer isso:

Casas de câmbio

É onde você pode chegar com o dinheiro em espécie, cartão de crédito ou débito, ou ainda fazer uma transferência bancária e comprar dólar em cash ou um “cartão pré-pago” com créditos em dólar. Ideal para quem está pensando em viajar ou guardar uma reserva em casa.

Bancos comerciais

Embora também possa cumprir o papel de uma casa de câmbio, é um canal mais eficiente para conversão de moeda de uma conta no Brasil para outro país, especialmente se isso envolver quantias superiores a R$10 mil, que é o limite de “dinheiro vivo” que a Receita Federal permite um viajante portar sem a necessidade de declaração.

Criptomoedas

Também utilizadas como meio de conversão de real para outras moedas (não apenas o dólar) possuem a vantagem de “fugir” da tributação, mas por outro lado, podem sofrer com a volatilidade dos criptoativos se a transação não for bem feita.

Mercado informal

Corresponde ao mercado paralelo que envolve desde os doleiros até aquele seu amigo que voltou de viagem e quer vender o excedente de moeda estrangeira em cash, ou aquele seu tio que tem uns dólares guardados em casa e está disposto a te vender ou emprestar.

Cartões de crédito internacionais

Embora não seja um meio de conversão direta para o dólar, o cartão de crédito internacional permite comprar itens e serviços em moeda estrangeira, o que dispensa a necessidade de trocar seus reais por dólar para, em seguida, comprar algo na moeda norte-americana.

Cartões de crédito dispensam a compra de dólar para em seguida usá-lo para consumo.
Cartões de crédito dispensam a compra de dólar para em seguida usá-lo para consumo.

Bolsa de valores (brasileira, B3)

Aqui não temos a possibilidade de realmente comprar o dólar, pois os contratos de dólar negociados em bolsa de valores possuem apenas liquidação financeira na moeda nacional.

Contudo, é o canal perfeito para quem deseja fazer trades para ganhar com a valorização ou desvalorização da moeda norte-americana, ou ainda proteger grandes transações através de hedges com derivativos.

A bolsa de valores também é o melhor canal para se fazer investimentos em ativos negociados em dólar, como investir em ações e títulos de renda fixa dos EUA.

Vale ressaltar que o mercado de câmbio possui várias referências, então, para que você se familiarize um pouco mais com isso, vamos falar das diversas formas de cotação que pode se encontrar por aí.

Tipos de cotação de Dólar

Você com certeza já ouviu falar em termos como dólar comercial, turismo, paralelo entre outros, certo?

Então, após saber mais sobre como investir em dólar, chegou a hora de entender sobre o que se trata cada tipo de dólar e como eles podem atender às suas necessidades.

Existem alguns tipos cotações para o Dólar
Existem alguns tipos cotações para o Dólar

Afinal, quantos tipos de dólar existem? Se você busca saber como investir em dólar, é preciso conhecê-los antes:

Dólar Comercial

Como o próprio nome diz, o dólar comercial é a referência para transações comerciais como, por exemplo, a transação de compra e venda de mercadorias e serviços entre empresas.

É ele que é utilizado pelos bancos para lidar com grandes movimentações financeiras de importação e exportação das empresas brasileiras.

Ele também é a referência para as ações do governo no exterior, como captação de recursos financeiros (empréstimos registrados no Banco Central) feitas por brasileiros residentes em outros países.

Cabe salientar que, embora os agentes (bancos e empresas) possam negociar algumas taxas de conversão entre eles, o Banco Central do Brasil impõe um certo controle sobre o câmbio para evitar que o dólar suba demais (desvalorizando o real e até afetando a inflação), ou desça excessivamente (afetando diretamente as exportações).

Dólar à vista

Podemos dizer que é um sinônimo do dólar comercial, porém, o termo é mais familiar para quem lida com negociações da moeda na bolsa de valores.

Embora o dólar comercial em si não seja negociado na bolsa, os seus derivativos, como contratos futuros e opções, são referenciados no dólar a vista, também chamado de “spot” pelos operadores.

Dólar futuro

O contrato futuro de dólar é a principal forma de negociação da moeda norte-americana no nosso mercado de bolsa e para se ter ideia, ele representa a segunda maior movimentação financeira da nossa bolsa de valores, a B3, ficando atrás apenas dos contratos de juros futuros (os chamados DIs).

Existem basicamente dois tipos de contratos futuros no nosso mercado: o padrão, também chamado de cheio, que equivale a US$50 mil por contrato e é negociado em lotes mínimos de 5 contratos; e o “mini dólar” que basicamente preserva as características do padrão (também chamado de “cheio”), mas representando um valor de US$10 mil por contrato, que neste caso pode ser negociado em lotes mínimos unitários.

Caso queira saber mais sobre como negociar os mini contratos, que são mais indicados para os investidores pessoa física, no Portal do Trader há um curso gratuito que aborda mini contratos futuros.

Dólar PTAX

A PTAX nada mais é do que uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central durante o dia, através de 4 janelas de consultas aos “dealers”.

Essas janelas de consulta possuem 10 minutos de duração e acontecem às 10h, 11h, 12h e 13h.

Cada consulta gera um valor de compra e de venda para o câmbio e a PTAX é a média aritmética dessas 4 consultas.

Algumas plataformas de operações em bolsa, como o Profit, apresentam a cotação da PTAX em tempo real. Mas afinal, para que ela serve?

Essa taxa é comumente utilizada como referência por bancos e instituições financeiras para calcular a conversão das compras internacionais realizadas com cartões de crédito.

Ela também define o preço de liquidação dos contratos futuros de dólar em seu vencimento, aliás, como trader de dólar, isso já me deu excelentes oportunidades de operação na moeda.

Uma curiosidade: o nome PTAX teve origem numa antiga conta do sistema SISBACEN, denominada PTAX800.

Embora esse sistema tenha sido substituído em 2014, a sigla PTAX foi mantida por ser conhecida no mercado financeiro.

Dólar turismo

O dólar turismo é a cotação da moeda norte-americana que você encontra nas agências de câmbio, ou nos bancos comerciais quando a finalidade é adquirir a moeda em espécie.

O dólar turismo é basicamente o que você encontra nas casas de câmbio.
O dólar turismo é basicamente o que você encontra nas casas de câmbio.

Na prática, se comparado ao dólar comercial, o dólar turismo representa um preço maior para quem deseja comprar a moeda, pois a precificação leva em consideração o acréscimo do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), além de custos logísticos e operacionais.

Dólar paralelo

Negociado no “mercado negro” o dólar paralelo é aquele adquirido de doleiros e casas de câmbio não autorizadas pelo nosso Banco Central.

Quando você compra dólar de um amigo ou familiar, também estamos falando do mercado paralelo.

Como não há regulação, não existe uma cotação oficial, ou seja, o preço de negociação é definido livremente entre o comprador e o vendedor.

Por este motivo, o dólar paralelo normalmente circula em situações de lavagem de dinheiro e sonegação.

Por isso, oficialmente, o Banco Central reconhece basicamente o dólar comercial (e seus derivativos, como os contratos futuros) e o dólar turismo.

Portanto, não recomendo considerar o mercado paralelo como opção de investimento.

Contudo, pensando em viagens, eu mesmo já comprei dólar de amigos e parentes. Como a quantia não é relevante para as autoridades, não precisa se preocupar se este for o seu caso.

Os casos que se enquadram em crimes envolvem quantias relevantes e escondem esquemas financeiros ilícitos.

8 Opções de Como investir em Dólar

Agora que você já tem um bom entendimento sobre a moeda norte-americana, que tal começarmos a falar de opções de investimentos mais objetivas?

Existem muitas maneiras de investir em dólar, por isso, a seguir vou citar 8 possibilidades e tenho certeza que pelo menos uma delas atende perfeitamente os seus objetivos.

Então, vamos lá?

1. Compra de papel moeda

Já vimos que a economia dos EUA é sólida o suficiente para fazer o dólar se valorizar com o tempo em relação a outras moedas.

Isso significa que se você mantiver um punhado de notas guardadas debaixo do seu colchão, elas provavelmente vão manter seu valor daqui a alguns anos.

Contudo, se você apenas deter a moeda estrangeira, por mais que esteja diversificando seu portfólio, não estará aproveitando essa oportunidade no seu potencial máximo.

Será que vale a pena guardar dólar em casa, como investimento?
Será que vale a pena guardar dólar em casa, como investimento?

De modo geral, o dólar em espécie atende basicamente a necessidade de consumo imediato ou situações de emergência. Então, como proceder para de fato investir em dólar?

Mais do que investir em dólar, pense em fazer investimentos dolarizados, ou seja, investimentos em produtos financeiros, porém oferecidos na moeda norte-americana.

Assim, além de você eventualmente ganhar com a valorização da moeda, também vai se beneficiar com os rendimentos do produto de investimento em questão.

Por isso, a seguir, vou te apresentar algumas possibilidades interessantes de investimentos dolarizados.

Tenho certeza que pelo menos um deles vai atender o seu perfil de investidor.

2. Fundos de investimento

Assim como no mercado nacional, existem muitas opções de fundos de investimentos nos EUA, aliás, na verdade lá existem muito mais opções do que aqui.

Para se ter ideia, além dos tradicionais fundos de renda fixa, imobiliários (FIIs) e multimercados, a oferta de ampla variedade de ativos no mercado norte-americano permite a criação de diversos fundos temáticos para até mesmo atender preferências ideológicas.

Quer alguns exemplos?

Já pensou em investir em estilo de vida?
Já pensou em investir em estilo de vida?

Nos EUA existem fundos compostos somente por ações de empresas sustentáveis, outros focados na tecnologia, outros em estilo de vida, entretenimento e até mesmo a “indústria do mal”, com foco em tabaco, maconha, cassinos, armas de fogo e bebidas alcoólicas.

Então, se você não tem muito tempo ou interesse em se aprofundar no processo de gestão dos seus ativos, a escolha de um fundo (em dólar) de investimentos pode ser uma ótima alternativa.

Além disso, existem fundos específicos, focados em câmbio.

3. Fundos cambiais

Podemos dizer que os fundos cambiais fazem parte desse universo de fundos temáticos de investimentos, com foco em ativos que possuem relação com moedas estrangeiras, principalmente o dólar e euro.

Contudo, cabe ressaltar que estes fundos não compram moedas estrangeiras, mas sim fazem aplicações em investimentos que possuem relação direta com elas, como operações estruturadas em derivativos, por exemplo.

Então, fundos cambiais não são como reservas de moeda estrangeira, ok?

Outro ponto importante é que você não precisa “dolarizar” seu capital para investir nesses fundos (até porque esse é o papel desse tipo de produto financeiro), ou seja, você encontra fundos cambiais no mercado brasileiro, em que se investe em reais.

De modo geral, e na minha opinião, quem busca esse tipo de investimento está apenas tentando lidar com as oscilações cambiais e, assim como manter um punhado de dólar em espécie, não vai se beneficiar de outras valorizações, além do câmbio.

Portanto, existem outras opções mais interessantes.

4. ETFs

ETF significa Exchange Traded Funds, ou seja, trata-se simplesmente de um fundo de investimentos, contudo, ele possui basicamente duas características que o diferenciam dos outros fundos tradicionais:

  1. Buscam replicar algum índice de referência, como o Ibovespa, por exemplo. Então, o gestor do ETF basicamente tem o papel de equilibrar a carteira de fundo de acordo com os ativos que compõem o seu índice de referência.
  2. Suas cotas podem ser negociadas no pregão da bolsa de valores, como se fossem ações. Portanto, a sua performance reflete tanto o desempenho do índice no qual está espelhado, como a demanda por suas cotas no mercado.

Portanto, pensando no caso de investimentos no mercado norte-americano, você pode escolher ETFs que representem o índice SP500, NASDAQ, Dow Jones ou até mesmo setores, como construção, bens de consumo do varejo, transportes, energia etc.

É importante frisar que, como em qualquer fundo de investimento, especialmente multimercados, o investidor corre o risco das potenciais desvalorizações em cada setor.

Portanto, se você é muito conservador, existe um investimento mais adequado a você.

Nem todo investimento precisa ter a emoção de uma montanha russa.
Nem todo investimento precisa ter a emoção de uma montanha russa.

5. Renda fixa

Quem busca renda fixa provavelmente está interessado em investir no mercado financeiro, contudo, sem abrir mão da segurança, certo?

Felizmente, nos EUA existem muito mais opções de investimentos em renda fixa do que aqui.

No mercado americano, além dos tradicionais títulos do governo, é possível investir em debêntures, que são títulos de dívidas das empresas.

Portanto, como lá fora existe um número muito maior de empresas, logo, a oferta de debêntures também é maior.

Também é possível investir em produtos de bancos, assim como nós investimos em CDBs, ou até mesmo fundos de renda fixa, composto por uma carteira de ativos desta categoria.

São muitas opções, então, separei um material que fala sobre renda fixa no Brasil, mas certamente pode te ajudar a escolher ativos lá fora também. Além disso, é importante levantar dois pontos.

O primeiro é que, como a taxa básica de juros nos EUA é menor que a nossa, o retorno dos títulos dificilmente vão bater os nossos.

Por outro lado, estamos falando de uma economia bem mais robusta, então, o risco de investir na renda fixa norte-americana é bem menor que o risco de investir na nossa renda fixa.

Em termos de investimentos de baixo risco, não tem muito o que variar, pois a segurança sempre vai cobrar o preço de oferecer retornos mais modestos.

Então, que tal partirmos para a possibilidade de investir em empresas norte-americanas?

6. Ações

Os EUA são conhecidos mundialmente por diversas de suas empresas, das tradicionais até as mais inovadoras.

Portanto, sabemos que lá temos muito mais alternativas em termos de ações e este é o ponto deste tópico.

Wall Street ainda é o maior reduto de ativos financeiros no mundo.
Wall Street ainda é o maior reduto de ativos financeiros no mundo.

Somente dentro das duas maiores bolsas americanas, NASDAQ e NYSE, podemos encontrar algumas das maiores empresas do mundo como Google, Amazon, Facebook e Apple, ou outras bem tradicionais, como Coca-cola, Pfizer, General Eletric e Citibank.

Outro ponto interessante é que toda semana tem alguma empresa fazendo um IPO lá fora, ou seja, abrindo capital na bolsa de valores.

Na minha opinião, esse é um dos maiores atrativos para converter parte do seu patrimônio em dólar e comprar ações de empresas norte-americanas.

Eu mesmo tenho (e não pretendo abrir mão) ações da Google, Apple, Microsoft, Amazon, Facebook e Tesla, pois gosto do setor de tecnologia.

O que gosto no investimento em empresas é que elas são todas geradoras de caixa, ou seja, balanço após balanço elas podem gerar lucro e assim manter suas ações num ritmo crescente no longo prazo… isto é, dependendo de sua gestão.

Isso é uma característica que dificilmente se nota em moedas, por isso, apenas comprar dólar não basta.

Para mim, investir em dólar significa investir em ativos na moeda norte-americana, e é mais plausível ver uma empresa multiplicar seu tamanho por dez do que ver o mesmo acontecer na variação cambial.

Além disso, não podemos nos esquecer também da possibilidade de fazer especulações de curto prazo nos ativos em dólar.

7. Mercado futuro

Assim como no mercado de ações, os futuros norte-americanos abrangem muitas outras possibilidades e com altíssima liquidez. Inclusive, isso pode gerar uma falsa sensação de que os gringos são os únicos ganhadores do mercado.

De qualquer forma, vamos a alguns exemplos do mercado futuro internacional.

Além dos índices futuros, como SP500, NASDAQ e Dow Jones, existem outras paridades no câmbio, como libra, euro e iene.

Mas, eu acredito que um dos maiores diferenciais está no setor de commodities

No Brasil, quando pensamos em commodities, pensamos no setor agrícola, contudo, nos EUA, é possível negociar com alta liquidez muitos outros contratos como petróleo, gás natural, minérios diversos e até insumos agrícolas que não possuem muita liquidez no Brasil, como suco de laranja, açúcar e porco.

Já passou pela sua cabeça operar suco de laranja?
Já passou pela sua cabeça operar suco de laranja?

Para quem possui conhecimentos mais avançados de mercado, é possível montar operações estruturadas, com lucros em dólar, é claro.

Isso sem falar nas possibilidades de trading, aliás, por falar nisso, existe ainda um outro mercado dolarizado voltado para esse público.

8. Forex

Forex é uma abreviação para Foreign Exchange, ou seja, numa tradução literal, câmbio estrangeiro.

Trata-se de um mercado descentralizado, difundindo pelo mundo todo e com regulação mais branda se comparado às bolsas tradicionais.

A facilidade em abrir conta e operar em Forex atrai o interesse de muitos traders, que possuem à sua disposição uma série de pares de moedas.

Contudo, é importante frisar que esse mercado é mais voltado para especulação em cima da variação cambial, portanto, não se encaixa tão bem nos objetivos de investidores conservadores.

Agora que você já tem uma boa ideia das possibilidades, vamos para a parte prática!

Como investir em dólar na bolsa?

O primeiro passo mais simples é você abrir conta numa corretora devidamente regulada no mercado brasileiro e caso necessite de ajuda, um assessor de investimentos pode te orientar em relação a cada passo desse procedimento.

Esse profissional, pode te auxiliar em diversas tarefas além de encaminhar relatórios com recomendações de investimentos alinhados aos seus objetivos financeiros.

Inclusive, alguns assessores podem até mesmo te ajudar a investir diretamente nos EUA.

Para investir lá fora, o primeiro passo é abrir uma conta numa corretora internacional. Felizmente hoje já existem até opções de corretoras geridas por brasileiros e que atendem em língua portuguesa.

Com o seu cadastro feito, a própria instituição pode te orientar sobre como mandar remessas financeiras para fora do Brasil, aliás, fique atento a isso, pois alguns bancos cobram taxas bem elevadas para essas conversões, então, sugiro pesquisar com atenção.

Tem sido cada vez mais comum o uso de criptoativos para o envio de remessas ao exterior.
Tem sido cada vez mais comum o uso de criptoativos para o envio de remessas ao exterior.

Também fique atento com a sua declaração de Imposto de Renda, pois é importante informar a Receita Federal que você enviou dinheiro para fora do país.

Agora, com a conta aberta e dinheiro aportado na corretora, o que é possível fazer?

Com dinheiro em solo americano, as possibilidades são quase infinitas.

Através da sua corretora você terá a possibilidade de investir em ações, fundos de investimento diversos, ETFs, ativos de renda fixa e contratos futuros.

Se você estiver atuando através de uma corretora no Brasil, é possível investir em fundos cambiais, BDRs norte-americanas (empresas dos EUA cujas ações são negociadas em nossa bolsa) ou até mesmo fazer operações em mini contratos de dólar futuro.

Como investir em dólar futuro?

Os contratos futuros de dólar são considerados produtos de investimento voltados para investidores agressivos ou arrojados, portanto, para ter acesso a eles é importante responder adequadamente o questionário do seu suitability.

O suitability serve basicamente como uma classificação do seu perfil de investidor. Dessa forma a instituição evita que um investidor conservador atue, mesmo que por engano, em produtos financeiros de alto risco.

Uma vez que o seu perfil esteja ajustado no sistema da corretora, basta possuir margem financeira de garantia (que não costuma ser alta) e usar uma das diversas plataformas oferecidas pelas instituições para negociar no mercado.

Hoje há muitas opções de plataformas para se operar dólar futuro.
Hoje há muitas opções de plataformas para se operar dólar futuro.

O dólar futuro é muito procurado por Day Traders devido às suas características de liquidez, volatilidade e baixos custos operacionais.

Caso queira saber mais sobre o assunto, recomendo você fazer o Curso de Day Trade Gratuito do Portal do Trader. Como acompanhar a cotação do dólar?

Como acompanhar a cotação do Dólar?

Hoje em dia, com uma rápida busca pela internet, já é possível obter cotações para o dólar turismo.

Contudo, como as taxas podem variar ligeiramente de uma casa de câmbio para outra, recomendo você usar algum site que faça comparações e/ou ainda barganhar diretamente com o seu agente de câmbio.

Agora, se você é trader, a melhor forma de acompanhar a cotação da moeda é através de uma plataforma de operações fornecida pela sua corretora.

Vale ressaltar que a cotação em questão é do dólar futuro e o dólar comercial não possui uma cotação online tão líquida quanto a do seu derivativo.

É importante salientar ainda que o dólar futuro, como todo derivativo, possui vencimentos e seu código de negociação muda periodicamente, de acordo com esses vencimentos.

Por isso, fique atento a posições de prazos maiores e ao código que você está acompanhando em sua plataforma.

Para finalizar essa questão, a cotação da PTAX pode ser conferida diretamente no site do Banco Central ou até mesmo em algumas plataformas de negociação.

Sobre o mercado negro, não existem fontes confiáveis de cotação para o dólar paralelo.

Qual o melhor momento para investir no dólar?

Se você está pensando em fazer uma viagem ou intercâmbio, o ideal é comprar a moeda aos poucos, pois dificilmente uma estratégia financeira vai surtir um efeito significativo na quantidade de moeda que você deseja adquirir.

Outro ponto é que o mini contrato futuro de dólar futuro representa um valor mínimo de US$10 mil, o que costuma ser muito acima das quantias que um viajante vai portar.

Portanto, o mercado financeiro geralmente atende estratégias para grandes montantes, muito acima das reservas de quem está pensando em uma viagem para a Disney.

Agora, se o seu objetivo é fazer trading em dólar, o timing da sua operação depende de muita técnica.

Neste caso, aqui vão 4 sugestões para você desenvolver boas habilidades estratégicas:

  • Área AO VIVO do Portal do Trader - Lá você pode acompanhar diariamente traders de dólar futuro fazendo transmissões ao vivo.
  • Curso de Price Action Gratuito - aqui você vai aprender a fazer análises gráficas muito simples, sem a necessidade de indicadores técnicos, geralmente voltada para operações de curto prazo.
  • Curso de Análise Técnica Gratuito - aqui você vai ter uma boa noção de análise gráfica envolvendo indicadores técnicos e aplicada a operações de curto, médio e longo prazo.

Pronto para melhorar suas operações? Comece nosso Curso de Análise Técnica!

Começar grátis
  • Curso de Tape Reading Gratuito - aqui você vai aprender o básico sobre o que é a leitura de fluxo de negócios no mercado, geralmente voltada para operações de curtíssimo prazo, como day trade e scalping.

Para finalizar, se o seu objetivo é investimento de longo prazo, acredito que mais importante do que acertar o momento - algo bem difícil de se conseguir, confesso - é a sua recorrência em aportes financeiros.

Reforçando essa questão, para aportes recorrentes em investimentos cujo comportamento de longo prazo é ascendente, o efeito da volatilidade acaba sendo diluído com o tempo, ainda que alguns de seus aportes aconteçam em topos do mercado.

Conclusão: Investir em dólar vale a pena?

Como pudemos ver neste texto, quando falamos em “investir em dólar”, temos duas possibilidades: podemos nos referir tanto à compra da moeda norte-americana, acreditando que esta vai se valorizar em relação ao real, quanto investir em ativos em moeda norte-americana, o que considera o primeiro caso e ainda conta com um benefício extra.

Nenhum outro mercado possui tanta diversidade quanto o norte-americano.
Nenhum outro mercado possui tanta diversidade quanto o norte-americano.

Portanto, certamente o investimento em dólar é uma ótima alternativa para diversificar patrimônio e diluir exposição a risco, além de poder atender também como opção única de investimento para qualquer perfil de investidor (como é o caso de diversos residentes nos EUA).

Contudo, cabem aqui algumas ressalvas para você, brasileiro.

O primeiro ponto é que se você pretende investir lá fora, tenha em mente que você não terá muito respaldo das nossas autoridades financeiras.

Isto porque elas não se responsabilizam por ativos que não estão devidamente regulados em território nacional.

Não é um ponto de grande preocupação, pois existem muitas instituições de confiança lá fora que atuam corretamente em relação aos seus respectivos órgãos reguladores, mas sem dúvida merece alguma atenção na hora de decidir quem vai custodiar seu capital fora do Brasil.

Outro ponto é que, dependendo do tipo de investimento que você pretenda fazer, é importante se especializar no assunto.

Seja para entender como funcionam as instituições financeiras nos EUA, ou seja, seus intermediadores de negociação, ou como aprender a criar estratégias de operação.Sobre este segundo assunto, caso tenha interesse em aprender a negociar ativos diversos, incluindo dólar e ações norte-americanas, fica o convite para conhecer a área Aprenda do Portal do Trader - onde você vai encontrar diversos cursos e conteúdos para se desenvolver como trader!

Categorias

Caio Sasaki

Especialista em Fluxo e Tape Reading e uma das maiores referências do mundo trader no Brasil.

Espero que você aprenda com esse artigo.

Logo Plano TNT

QUAL SEU PLANO PARA OBTER CONSISTÊNCIA NO TRADING?

QUERO COMEÇAR O PLANO TNT

Por que milhares de traders frequentam o Portal diariamente?

Especialistas e Traders Profissionais reconhecidos no mercado e com mais de 10 anos de experiência. Esse é o time que elabora nosso conteúdo.

Plataforma de E-learning EAD completa com centenas de vídeos gratuitos, artigos, perguntas de fixação e discussão.

Comunidade de Traders e Investidores que enfrenta os mesmos desafios que você e está sempre disponível para ajudar todos os dias.

Análise Técnica, Price Action, Tape Reading, Fundamentalista e mais. Acreditamos na diversidade de técnicas para cada aluno encontrar o seu caminho.

Day Trade, Swing Trade, Position e Alocação de Carteiras. Aprenda técnicas para operar cada modalidade de acordo com seus objetivos.

Dólar, Índice, Ações, Opções, Forex e até Bitcoin. Nosso conteúdo educacional engloba todos os principais ativos do mercado.

Comece seus cursos gratuitos


Quais são as vantagens em fazer parte do Portal do Trader?

  • Aumente suas chances de sucesso na Bolsa de Valores com nossa metodologia proprietária.
  • Fuja das armadilhas e não perca dinheiro com erros básicos no mercado. Nossa proposta é séria, sem promessas milagrosas.
  • Aprenda as melhores estratégias utilizadas por investidores e traders profissionais através de um sistema educacional completo.
  • Converse com outros traders e investidores em todos os nossos canais.
  • Aulas, Transmissões, Notícias e Calendário Econônico Ao Vivo todos os dias.