A técnica da análise de fluxo, também conhecida como Tape Reading, remonta a um passado não muito distante em termos históricos, mas bem antigo para quem nasceu na era da popularização da tecnologia.

Utilizada nos pregões viva voz, essa prática tratava de registrar todas as operações de compra e venda realizadas durante o pregão, e que consumiam as ordens anunciadas em uma grande lousa de pedra, constantemente atualizada por uma pessoa usando giz e uma escadinha. Com base nesses dados, operadores do pregão tomavam suas decisões baseadas no fluxo de ordens e nas estratégias dos outros operadores.

O tempo passou, as tecnologias utilizadas para realizar aquelas tarefas atualizaram-se, mas o princípio permaneceu.

O chamado Tape Reading nada mais é do que utilizar-se das informações das ofertas de compra e venda e mais o consumo dessas ofertas para tomar decisões de entrada e saída em operações.

Agora uma pequena história...

Imagine um grande mercado onde pessoas colocam seus produtos em barraquinhas para vender e comprar, mais ou menos como aquelas feirinhas de trocas que há em diversas cidades do Brasil. Começa então o dia e os visitantes chegam para comprar e vender produtos, fazendo com que os preços subam ou desçam de acordo com a maior ou menor procura por determinados produtos.

Agora troque as barraquinhas por Book (ou Livro) de Ofertas. E troque Visitantes por agressores. Pronto, você tem aqui os conceitos fundamentais do Tape Reading.

Na Bolsa, investidores interessados em comprar e vender seus ativos enviam ordens que ficam no Book aguardando vendedores e compradores. Nos primórdios do pregão viva-voz, essas ordens eram escritas em uma lousa de pedra – daí o termo “colocar a ordem na pedra” utilizado até hoje para designar as ordens que estão no Book. Essas ordens pertencem a investidores que desejam vender e comprar ativos a preços específicos. Existem até mesmo alguns que gostam de blefar, colocando muitas ordens para todo mundo acreditar que ele está carregado de ativos pra vender mas que, assim o preço chega naquele ponto, retiram todas as ordens colocadas e as movem para outro patamar de preços.

Estratégias à parte, aquelas ordens no book serão agredidas pelos compradores e vendedores. Mas imagine que, de repente, aparece alguém com um caminhão de dinheiro e queira comprar muitos lotes de um determinado ativo. Ele chega com aquele dinheiro todo, olha para o book e constata que não tem ofertas de venda em quantidade suficiente para atender aquela compra grande. Então, o que acontece?

Bem, imagine que o Book é algo parecido com um armário vertical e comprido, cheio de gavetinhas. Cada gavetinha corresponde a um patamar de preços. Quando o comprador chega com bastante dinheiro para comprar os lotes que estão à venda, ele começa da primeira gavetinha, e compra tudo o que estiver lá. Então ele vai para a gavetinha de cima onde estarão as ordens de um preço um pouco maior. E assim ele vai limpando gavetinha por gavetinha até completar toda a quantidade de lotes que ele tinha que comprar.

Como as gavetinhas vão ficando vazias e cada gavetinha representa um patamar de preço, então aquela compra grande faz com que o preço suba até o patamar da última gavetinha onde sobraram ordens sem vender.

Este é o princípio básico de movimentação de preços, compra e venda a mercado (agressões) e consumo do Book de Ofertas.

Claro que na vida real os eventos não são tão distintos assim. Milhares de ordens de compra e venda são disponibilizadas e executadas ao longo do pregão. Quanto mais líquido o ativo, mais frenético será o movimento e o trader que quiser se especializar nessa modalidade operacional terá que gastar um bom tempo – semanas ou meses - diante da tela do computador apenas observando o que se passa até ser capaz de fazer distinções claras sobre o que está acontecendo ali.

Uma vez acostumado ao fluxo do mercado, é hora de compreender as estratégias que estão por trás do movimento de cada investidor. Seguir o fluxo do dinheiro dos grandes investidores permitirá compreender a estratégia particular de cada um deles, eventuais blefes e, a partir dessa compreensão, operar junto com eles.

Ao contrário da análise gráfica onde os investidores seguem o preço, no Tape Reading segue-se o fluxo de dinheiro, pegando uma espécie de carona nos grandes movimentos e lucrando com eles.