O que você quer aprender?

Ir

Aluguel de ações: Como alugar, Taxas, Vantagens e Riscos

O aluguel de ações é um método de investimento em que um investidor aluga suas ações para outro na bolsa de valores, através de garantias e taxas prefixadas. Quer entender melhor como isso funciona, como alugar uma ação e se realmente é vantajoso? Então fique comigo neste post até o final!

Ações Abr 12, 2022

O que vamos discutir neste post?

O que é aluguel de ações?

Assim como é feito no mercado imobiliário, é possível alugar seus ativos no mercado de ações
Assim como é feito no mercado imobiliário, é possível alugar seus ativos no mercado de ações

O aluguel de ações nada mais é do que um método de investimento dentro da Bolsa de Valores, em que dois investidores negociam uma “aquisição temporária” de uma ação - utilizando-se de garantias e taxas prefixadas, assim como aluguéis normais.

Nessa negociação, temos duas pontas: o doador e o tomador.

O doador, como você pode deduzir pelo nome, é aquele que disponibilizará suas ações no mercado.

Por sua vez, o tomador é aquele que irá adquirir essas ações, concordando com um contrato que engloba prazos bem definidos, taxas e muito mais.

Se você nunca ouviu falar sobre isso antes, pode parecer um pouco confuso, mas fique tranquilo. É um processo 100% legal, realizado dentro da própria Bolsa.

Normalmente, esses doadores são os chamados “holders”, com foco no longo prazo.

Já que eles não pretendem utilizar suas ações no curto prazo, decidem alugá-las no mercado para ganhar um dinheiro extra.

Por outro lado, os tomadores costumam ser traders de curto prazo, pois precisam desses papéis apenas temporariamente, para realizar alguma operação específica (ex: venda, mas sem possuir o ativo).

Essa é a beleza do mercado de ações: existem operações para todos os perfis!

Se você deseja saber mais sobre como investir nesse tipo de ativo tão interessante, acesse já gratuitamente o nosso Curso de Investimento em Ações, e aprenda a base necessária para dar seus primeiros passos nesse mercado!

Afinal, como alugar ações?

Como alugar ações na prática?
Como alugar ações na prática?

Alugar ações, na verdade, é mais simples do que parece.

Basta entrar em contato com a sua corretora (ou distribuidora) e informá-la que você deseja emprestar suas ações para outros investidores no mercado.

Após isso, você deve informar à instituição quais ações deseja alugar, qual a taxa desejada, os prazos, entre outras informações.

A partir desse momento, a instituição financeira será a intermediária entre você (doador) e todos os outros investidores interessados em alugar seus papéis (tomadores).

Você não precisa se preocupar com quase nada. A corretora é quem será responsável por tudo.

Antigamente, era necessário fazer um processo muito mais burocrático e demorado.

Ainda bem que a tecnologia veio para ficar, não é mesmo?

Quem pode fazer a locação de ações?

Qualquer um pode fazer a locação de ações.

Se você é um doador, não é um processo perigoso, visto que é inteiramente supervisionado pela B3 e pela sua corretora.

Absolutamente nenhuma regulação te impede de participar desse processo, seja você um doador ou um tomador.

Basicamente: para ser um doador, você precisa ter a ação que deseja alugar em custódia. Se quiser ser um tomador, você será aquele com uma posição vendida nessa mesma ação.

Conheça o perfil desse investidor

O perfil do doador de ações, na esmagadora maioria das vezes, é moderado (com uma visão de longo prazo).

Ele não pensa em aproveitar pequenas oscilações do mercado, e sim na valorização de seus papéis e das empresas nas quais é acionista.

Nessa situação, ao invés de deixar suas ações paradas, ele consegue alguma rentabilidade extra. Não há o que perder.

Por outro lado, um tomador possui um perfil completamente diferente.

Ele costuma ter um perfil arrojado, visto que tem como foco o curto prazo.

Um tomador precisa alugar algumas ações para realizar operações específicas dentro do mercado, que costumam ocorrer em períodos curtos - normalmente se encaixando como operações de swing trade principalmente.

De modo geral, a maioria dos tomadores alugam ações para assumirem posições vendidas por mais de um pregão.

No texto sobre perfil suitability, o professor Augusto Andrea fala mais sobre esses perfis de investidores!

Vantagens do aluguel de ações

O empréstimo de ações é um processo que traz consigo muitas vantagens - tanto para os doadores, quanto para os tomadores.

Vamos ver agora algumas das principais:

O doador pode receber uma remuneração extra

Acredito que ninguém aqui vai reclamar de uma remuneração extra, não é mesmo?
Acredito que ninguém aqui vai reclamar de uma remuneração extra, não é mesmo?

Essa é, sem dúvidas, a maior vantagem.

Sem risco algum, o doador pode receber uma remuneração extra com a sua carteira de ações - mesmo que ela fique completamente parada!

Normalmente, o investidor de longo prazo só consegue lucrar com sua carteira de investimento após muitos anos, quando decide vender os ativos valorizados.

Entretanto, com o aluguel de ações, ele pode ser remunerado constantemente, através de valores acordados com os tomadores do aluguel.

É claro que não é uma remuneração extraordinária, mas com certeza é melhor do que deixar seus papéis parados na sua carteira.

E o mais importante: não importa o que o tomador venha a fazer com as ações - o doador não corre risco algum.

Essa é uma grande diferença entre o aluguel de papéis e o aluguel de imóveis.

No aluguel de apartamentos, por exemplo, as ações do inquilino afetam diretamente o ativo (no caso, o imóvel). Se ele decidir fazer uma festa gigante no seu apartamento, e acabar depredando o andar inteiro, você será muito prejudicado.

Todavia, no caso do aluguel de papéis, se o tomador tomar o maior prejuízo da vida dele, e ferrar com toda a operação, você não é afetado em absolutamente nada.

É simples de fazer

Não se trata de um processo nada complexo.

Basta você informar sua corretora sobre o seu desejo de alugar suas ações, informá-los sobre quantidades, prazos e taxas, e pronto!

É extremamente simples e nada burocrático.

Nem parece que estamos falando do Brasil…

Dividendos são recebidos automaticamente

Se você é o proprietário das ações alugadas, todos os eventuais dividendos e proventos que a empresa disponibilizar aos acionistas irão diretamente para o seu bolso, e não do tomador.

No fim das contas, você pode receber tanto a remuneração do aluguel quanto os proventos referentes aos seus papéis como renda passiva!

Como funciona a taxa de aluguel de ações?

A taxa de aluguel é um dos pontos mais importantes a serem avaliados por qualquer tomador
A taxa de aluguel é um dos pontos mais importantes a serem avaliados por qualquer tomador

Como já vimos, a taxa de remuneração é o que remunera o doador.

Ela, por sua vez, é definida pelo próprio doador antes do empréstimo - e cabe ao tomador aceitá-la ou não.

Se você conhece a lei da oferta e demanda, já deve ter deduzido que:

  • Quanto maior for a procura por um papel, maior é a taxa
  • Quanto menor for a procura por um papel, menor é a taxa

Isso é economia básica, e também é aplicada ao mercado de ações.

O tomador deve avaliar se essa taxa, dentro do contexto em que ele está inserido, é factível.

Vale lembrar que essa taxa é pro-rata, ou seja, proporcional ao número de dias que o tomador alugou o ativo.

No final, suas operações devem ser lucrativas, então esse é um fator muito importante a ser avaliado.

Conheça os tipos de contrato do aluguel de ações

Existem alguns tipos de contratos para o empréstimo de ações, cada um com suas peculiaridades.

Vamos descobrir quais são eles:

Contrato reversível ao doador

O contrato reversível ao doador é aquele em que o próprio doador tem o direito de encerrá-lo a qualquer momento.

Quando eu digo “qualquer”, encare no sentido literal. Nesse caso, o prazo acordado não importa.

Se o doador decidir encerrar o contrato antes do prazo determinado, o tomador deverá pagar apenas a taxa referente ao período que ficou em posse das ações.

Contrato reversível ao tomador

Se você entendeu o tipo de contrato anterior, entenderá esse com facilidade.

O contrato reversível ao tomador é aquele em que o tomador tem o direito de encerrá-lo a qualquer momento.

Nesse caso, ele deve devolver todas as ações alugadas em um prazo de até quatro dias.

Contrato reversível ao tomador e doador

Nesse tipo de contrato, tanto o doador quanto o tomador podem encerrar o contrato antes do prazo de vencimento.

Contrato com vencimento fixo

Nesse tipo de contrato, o doador e o tomador devem obedecer o período de vencimento previamente acordado.

Nenhum dos dois pode solicitar o fim do contrato antes desse prazo.

Quais ações são mais alugadas?

As ações mais alugadas da B3, no momento em que escrevo este post (abril de 2022) são:

  • GFSA3
  • MRVE3
  • MOVI3
  • MULT3
  • MDIA3
  • IRBR3

Mas cuidado: não pense em simplesmente copiar o que o mercado está fazendo.

Se quiser alugar alguma ação, pense primeiro na sua estratégia e nos seus objetivos, e não no que a grande massa está fazendo.

Entretanto, esse pode ser um indicador interessante.

Muitos traders costumam analisar o BTC (Banco de Tìtulos em Custódia da B3), em que estão disponíveis informações acerca do aluguel de diversos tipos de ações.

Eles fazem isso para descobrir a crença do mercado em relação às ações em negociação. Te explico:

Se uma ação está sendo muito alugada, significa que o mercado acredita que ela vai se desvalorizar em um futuro próximo.

Os investidores observam esses dados dia a dia, e quando surge um salto repentino no aluguel de um ativo, é um sinal de que muitos players estão entrando vendido nesta empresa.

Lembre-se do que eu disse há algumas linhas: a maioria dos tomadores alugam ações para assumirem posições vendidas por mais de um pregão (se for day trade não é necessário alugar ações). Isso pode ser uma informação muito importante para um trader.

E lembrando: isso não é uma informação ilegal e nem nada do tipo. Todos esses dados são disponibilizados pela própria B3.

Quais os riscos de alugar ações?

Não pense que não há riscos envolvidos nessa operação…
Não pense que não há riscos envolvidos nessa operação…

Assim como tudo na vida, existem alguns riscos no processo de locação de ações - principalmente para o tomador.

Para o doador, os riscos são baixíssimos - para não dizer nulos.

O máximo que pode acontecer é ele não receber as ações de volta na data acertada.

Mas, nesse caso, a B3 atua como contraparte, executando todas as garantias para que o doador não saia prejudicado.

Por outro lado, o tomador sofre principalmente com o risco comum de mercado.

Ao alugar ações, ele tem em mente alguns objetivos e estratégias - que podem não ocorrer como o esperado…

Nesse caso, o tomador sofre com uma grande possibilidade de prejuízo. E, muitas vezes, essas perdas podem ser muito, muito graves.

Vamos ver um pouco mais sobre os principais riscos que envolvem o empréstimo de ações:

Taxa de aluguel

A taxa de aluguel, se não for muito bem calculada pelo tomador, pode afetar toda a sua rentabilidade, assim se tornando um grande risco em potencial.

Variação

Esse pode ser um dos principais riscos para o tomador.

A flutuação das ações pode simplesmente jogar toda a estratégia do tomador por água abaixo…

Afinal, o mercado é sempre soberano.

Liquidação financeira

O risco de liquidação financeira é a possibilidade de você contrair uma dívida em uma operação e precisar ter todas as suas ações executadas.

Nesse caso, todas as suas posições deveriam ser zeradas - incluindo as ações que você alugou…

Direitos e deveres na prática do aluguel de ações

Cada uma das partes de uma locação de ações têm certos direitos e deveres específicos, com o objetivo de tornar essas operações mais eficientes.

Vamos conferir os principais:

Direitos e deveres do doador

  • Receber os aluguéis determinados no contrato
  • Receber normalmente os proventos de suas ações
  • Manter seus papéis em sua carteira
  • Transferir seu direito a voto nas assembleias para o tomador

Direitos e deveres do tomador

  • Vender as ações sem qualquer interferência do doador
  • Direito a voto nas assembleias (em caso de ações ordinárias)
  • Pagar taxa de aluguel estabelecida
  • Devolver a mesma quantidade de papéis alugada
  • Oferecer a garantia determinada pela Bovespa e pela sua corretora

Dúvidas frequentes

Hora das perguntas mais frequentes sobre empréstimos de ações!

Aluguel de ações vale a pena?

Depende dos seus objetivos.

Se você é um doador, com certeza. Os riscos são baixíssimos - para não dizer quase nulos.

Se você é um tomador, pode valer a pena, caso você saiba exatamente o que irá fazer e tenha alguma experiência, pois os riscos são mais altos.

Quanto se ganha com o aluguel de ações?

Normalmente, a taxa de aluguel gira em torno de 2% a 5%  (ao ano) do valor do ativo alugado.

Portanto, tudo irá depender do preço-alvo do ativo negociado.

No próximo tópico, vamos ver um exemplo prático dos ganhos referentes a esse tipo de operação.

Como calcular ganho com aluguel de ações?

Vamos imaginar a seguinte situação:

Se um tomador alugar 100 papéis de uma ação que custa R$50 a uma taxa de 3% ao ano, a rentabilidade do doador será calculada da seguinte forma:

Primeiramente, devemos descobrir qual será o valor recebido por papel. Para isso, calculamos 3% de R$50, chegando no valor de R$1,5.

Já que o doador alugou 100 papéis, devemos multiplicar essa quantidade pelo valor por papel. O resultado final será de R$150,00 por ano!

É assim que se calcula o ganho com o empréstimo de ações.

Leia também:

Fato curioso sobre o aluguel de ativos

Antes de finalizar o post, vou te contar um fato histórico extremamente curioso sobre o aluguel de ativos.

Para isso, preciso te contextualizar:

Um índice futuro é calculado, a grosso modo, a partir do IBOV (índice à vista) e a taxa de juros (SELIC) referente ao período até o vencimento. Se o contrato vence em 2 meses, por exemplo, pegamos o valor do contrato à vista e adicionamos uma taxa de juros - assim, conseguimos o valor teórico do contrato futuro.

Quando uma ou mais ações do índice começar a se desvalorizar demais, os investidores vão tentar arbitrar o contrato à vista com o futuro - isto é, comprar índice futuro e vender a carteira à vista (e, para isso, é preciso recorrer ao aluguel).

Entretanto, é aí que entra o pulo do gato…

Se todo mundo, ao mesmo tempo, está procurando alugar um ativo que está em queda livre, esse mesmo aluguel começa a ficar caro ou até mesmo impossível pela escassez de doadores.

Se o aluguel começa a encarecer, os investidores conseguem vender o índice futuro, mas não conseguem vender o índice à vista!

Ou seja, o índice futuro passa a precificar abaixo do índice à vista (por um fator especulativo), e este não consegue ceder mais do que deveria, pois as pessoas não conseguem assumir posições vendidas.

Bizarro, não é mesmo?

E isso aconteceu aqui na Bolsa de Valores brasileira, quando as ações do Eike Batista começaram a cair vertiginosamente em 2013!

Esse é um fenômeno extremamente raro, mas possível de acontecer…

Conclusão

O aluguel de ações é um método de investimento extremamente interessante para certos perfis, pois traz consigo boas vantagens para as duas partes - o doador e o tomador.

Por mais que, conceitualmente, esse seja um processo simples de se entender, não pense que, na prática, é para qualquer um.

Se você ainda é um iniciante, recomendo que nem pense em pegar ações emprestadas para operar a descoberto! Essa é uma operação complexa, recomendada para traders mais experientes.

Entretanto, se você é um holder, alugar suas ações pode ser uma boa estratégia para receber uma rentabilidade a mais!

Mas para investir no mercado de ações, é necessário entender como ele funciona, quais as melhores estratégias, quais são todos os tipos de ações, e muito mais. E, para isso, tenho a solução ideal:

Acesse já - gratuitamente - o nosso Curso “Investindo em Ações”, e aprenda toda a base necessária para começar a investir nesse mercado tão rentável!

Espero que tenha conseguido te ajudar com o post de hoje!

Até mais!

Imagem do autor - Eduardo Becker

quero aprender agora

Categorias

Caio Sasaki

Especialista em Fluxo e Tape Reading e uma das maiores referências do mundo trader no Brasil.

Espero que você aprenda com esse artigo.

QUAL SEU PLANO PARA OBTER CONSISTÊNCIA NO TRADING?

QUERO COMEÇAR O PLANO TNT

Por que milhares de traders frequentam o Portal diariamente?

Especialistas e Traders Profissionais reconhecidos no mercado e com mais de 10 anos de experiência. Esse é o time que elabora nosso conteúdo.

Plataforma de E-learning EAD completa com centenas de vídeos gratuitos, artigos, perguntas de fixação e discussão.

Comunidade de Traders e Investidores que enfrenta os mesmos desafios que você e está sempre disponível para ajudar todos os dias.

Análise Técnica, Price Action, Tape Reading, Fundamentalista e mais. Acreditamos na diversidade de técnicas para cada aluno encontrar o seu caminho.

Day Trade, Swing Trade, Position e Alocação de Carteiras. Aprenda técnicas para operar cada modalidade de acordo com seus objetivos.

Dólar, Índice, Ações, Opções, Forex e até Bitcoin. Nosso conteúdo educacional engloba todos os principais ativos do mercado.

Comece seus cursos gratuitos


Quais são as vantagens em fazer parte do Portal do Trader?

  • Aumente suas chances de sucesso na Bolsa de Valores com nossa metodologia proprietária.
  • Fuja das armadilhas e não perca dinheiro com erros básicos no mercado. Nossa proposta é séria, sem promessas milagrosas.
  • Aprenda as melhores estratégias utilizadas por investidores e traders profissionais através de um sistema educacional completo.
  • Converse com outros traders e investidores em todos os nossos canais.
  • Aulas, Transmissões, Notícias e Calendário Econônico Ao Vivo todos os dias.