O que são as Opções

Quando ouvimos pela primeira vez o termo Opções, ele geralmente vem acompanhado de duas crenças: alguns classificam as Opções como algo perigoso, que sujeita o investidor a enormes perdas financeiras. Outros confundem o termo com as conhecidas Opções Binárias.

Não há nada de mais equivocado do que essas duas ideias. Primeiramente, porque Opções Binárias não tem nada a ver com os derivativos negociados na Bolsa de Valores, que, no Brasil, é a B3. A outra razão é porque as Opções, se usadas da maneira correta, não têm nada de perigoso. Elas, ao contrário, foram criadas justamente para proteger o capital do investidor contra grandes volatilidades do mercado.

A ideia deste curso é ajudar a desmistificar essas crenças.

Opções Binárias

Esse é um mercado muito parecido com o universo das apostas, dos jogos. Nelas, o apostador acredita que o preço irá subir ou descer dentro de um determinado intervalo de tempo. Ele então faz a sua aposta e, se acertar a direção do movimento, ganhará um percentual sobre o montante apostado. Se errar, perde o que apostou.

Até aí não há nada de mais – jogos são legítimos na maioria dos países. A grande dúvida por trás das Opções Binárias é a idoneidade de quem está por trás desse tipo de jogo. Uma rápida consulta ao site Reclame Aqui mostrará uma legião de apostadores insatisfeitos com empresas que fazem a intermediação desse mercado aqui no Brasil.

Claro que existirão corretoras honestas, mas, caso você vá operar por uma delas, e se porventura tiver problemas, não terá a quem recorrer, pois esse negócio não é regulamentado no Brasil. Em caso de problemas, para reaver seu dinheiro, o jogador terá que contratar um advogado especializado nesse tipo de demanda, que tenha domínio do inglês e experiência internacional.

Além disso muitas corretoras estão do outro lado da mesa fazendo o papel de Banca. Isso quer dizer que você joga contra a própria corretora – quando você perde, quem ganha é ela. Sem contar que, se tudo der certo, você poderá estar sujeito à bitributação: no país de origem e quando internaliza o dinheiro em sua conta no Brasil. Além disso, você estará limitado financeiramente, ou seja, não dá para operar valores muito grandes em Opções Binárias. Dessa forma, você não consegue crescer – princípio de qualquer investimento.

Todo esse conjunto de fatores torna frágil a relação entre jogador e Corretora, o que aumentará significativamente o risco desse tipo de operação.

Hedge

O mercado de investimento em Opções foi inicialmente criado para proteger produtores rurais contra eventos não planejados – daí a palavra hedge, que, em inglês, significa proteção.

Por exemplo, o plantador de arroz, através de um contrato, poderia realizar a venda futura de sua produção por um preço determinado que lhe garantisse o pagamento de seus custos e mais um lucro pelo exercício de sua atividade. Do outro lado do balcão, estava o comprador de arroz. Ele precisava garantir que teria o produto para seu comércio a um preço justo.

Ambos então sentavam à mesa de negociações, acordavam um preço justo para ambas as partes e fechavam o negócio antes de o primeiro broto de arroz ver a luz do Sol.

Opções – compreendendo o conceito

Opções são instrumentos derivativos. Elas têm esse nome porque seu valor deriva, ou seja, altera-se em função das variações de valor de um outro ativo. Esse conceito fica fácil de compreender quando pensamos no seguro de um automóvel.

Quando você compra um seguro de carro, paga um determinado valor que a seguradora chama de "prêmio". O prêmio que você paga será diferente em função de diversas variáveis que afetam o risco da seguradora. Assim, o preço do carro, a experiência de quem vai dirigi-lo, a cidade ou bairro onde proprietário mora, o tipo de uso que fará do veículo, o local de estacionamento, tudo isso afeta o valor do prêmio pago pelo seguro. Quanto mais arriscado, mais caro – quanto maior o prazo de vigência do seguro, mais caro.

Se você permanecer com o mesmo veículo por mais de um ano, notará que o prêmio do seguro ficará cada vez mais barato, pois o valor do bem segurado será cada vez menor com a passagem do tempo. O seguro de um carro zero quilômetro será bem mais caro do que o seguro para o mesmo carro com dez anos de uso.

Esse conceito se aplica ao mundo das Opções. Elas são contratos que possuem um prazo determinado (assim como os seguros) que dão ao investidor o direito de comprar ou vender um determinado ativo por um preço preestabelecido entre as partes.

Na prática, isso quer dizer, por exemplo, que você poderá comprar uma Ação daqui a um mês com o preço de hoje, caso a Ação suba. Ou ainda, que daqui a um mês, você poderá vender suas ações ao preço de hoje, mesmo que o preço caia.

Como se vê, as duas operações acima ajudaram você a proteger seu capital. Na compra, você conseguiu garantir um bom preço para a Ação mesmo que o mercado suba. E, na venda, você garantiu que suas ações serão vendidas ao preço de hoje mesmo que o mercado caia.

Não é preciso ter a Ação

Mas você não precisa necessariamente ter a Ação no dia em que compra a Opção para algumas operações. Para outras, você poderá trabalhar exclusivamente com as Opções, sem ter que comprar ou vender Ações. Algumas estratégias poderão exigir que você tenha as Ações em seu poder ou que deposite uma margem de garantia em sua Corretora.

Tamanha flexibilidade torna o investimento em Opções uma ferramenta versátil para todo tipo de estratégia financeira.

Com elas, é possível operar alavancado tanto na compra quanto na venda, ganhar com o mercado em qualquer direção, proteger uma ação ou mesmo uma carteira de investimentos, obter uma renda mensal e, até mesmo, realizar operações de renda fixa; tudo isso de uma forma bastante segura, já que é o próprio investidor que determina sua perda máxima no momento de montagem da operação.

Há traders que vivem exclusivamente de operações com Opções, outros as utilizam para aumentar o rendimento de suas ações, e há aqueles ainda que têm nas Opções uma forma de vitaminar os rendimentos em operações de day trading e swing trading.

Uma das formas mais interessantes para se investir ou especular no mercado de capitais, as Opções formam um mercado que tem crescido no mundo todo, inclusive no Brasil.