Na época do pregão viva-voz, antes do uso de computadores pela Bolsa de Valores, demandantes e ofertantes precisavam informar aos investidores e especuladores sua intenção de comprar e vender ativos.

Imagine que você possui um bem e queira vendê-lo. O modo mais rápido de se fazer isso é indo a algum lugar onde circulem compradores interessados. É nesses moldes que aconteciam as feiras de automóveis usados. Ali, diversos proprietários colocavam placas no vidro dos seus automóveis especificando suas características e pedindo um determinado preço para o negócio.

Essa estrutura de se fazer negócios foi utilizada, obviamente com adaptações, pelas Bolsas. Ali é o lugar onde compradores e vendedores se encontravam pessoalmente ou representados por seus corretores para a realização dos negócios.

Enviavam então ao pessoal da Bolsa seus pedidos de compra e ordens de venda, especificando o tipo de ativo, suas características e o preço que desejavam pagar ou receber por eles.

Para que a informação se tornasse pública, um funcionário da Bolsa subia por uma escada e escrevia ali, com giz, em uma lousa pintada na parede de concreto, todas as intenções de compra e de venda dos investidores.

À medida que aquelas ordens fossem atendidas, o funcionário tinha que apagar aquela oferta da lousa e, em seu lugar, escrever a próxima oferta.

O termo “colocar a ordem na pedra” vem exatamente desse ato de pedir para o funcionário escrever sua intenção de compra ou de venda em uma lousa de pedra.

Curiosidades à parte, esse termo pegou e permaneceu o mesmo quando os computadores substituíram o pregão viva voz, conferindo agilidade e precisão ao processo.

Chamados agora de Livro de Ofertas – ou Book, por causa do termo em inglês – é ali que as intenções de compra e de venda são colocadas, muitas vezes, em uma velocidade frenética, difícil de acompanhar por olhos não treinados.

Saber acompanhar o movimento de colocação e retirada dessas ordens pode revelar estratégias, blefes e dificuldades dos grandes investidores.

Entre o conjunto de habilidades que o trader deve dominar para ter sucesso no tape reading, está a capacidade de analisar o livro de ofertas e, por meio dele, identificar padrões de negociação e as estratégias utilizadas por grandes operadores do mercado.