Se você já se deteve a observar o fluxo de ordens ao longo do pregão, irá reparar que ele é contínuo. Desde a primeira agressão ao livro de ofertas logo na abertura do pregão até a última operação, as ordens ocorrem de maneira sucessiva praticamente sem interrupção durante todo o dia.

Percebe-se, desse fato, que, para podermos analisar o mercado, precisamos estabelecer referências que nos permitam compreender as forças que movem os preços.

Uma das formas que o mercado encontrou para permitir uma análise mais precisa foi dividir esse conjunto de informação em blocos de tempo.

Assim, blocos com a duração de um minuto irão compreender todas as negociações realizadas naquele período e assim por diante. Por convenção, o mercado acabou dividindo os intervalos de tempo – ou time frames – em múltiplos de minuto.

Temos, então, gráficos de 1 minuto, 3 minutos, 5 minutos, 60 minutos, 240 minutos e assim por diante, além de outros nomes para facilitar a divisão, como 1 hora, 2 horas, 1 dia, 1 semana e 1 mês.

Cada time frames permitirá ao trader analisar o fluxo do mercado sob uma perspectiva diferente, o que possibilita a elaboração de muitas estratégias interessantes. Saber utilizar e combinar diferentes time frames ajudará você a interpretar com maior precisão os movimentos do mercado e extrair o máximo de seus resultados.