Glossário

Análise Técnica | Mercado e Finanças | Opções e Derivativos

Análise Técnica

Acumulação / Distribuição: Indicador que relaciona preço e volume, tendo por base a ideia de que movimentos significativos são acompanhados pelo volume. Trata-se de uma variação do OBV.

Quanto maior o volume que acompanha uma mudança de preços mais significativa será esta mudança.
Adicionado por: Marcos Moore
Quando um indicador (IFR, OBV...) rompe uma LTA, LTB ou resistência muito antes do movimento dos preços. Significa que o indicador fez um movimento antecipado e o preço do papel conseguirá fazer mais um movimento antes de seguir o que o indicador apontava.
Adicionado por: Marcos Moore
Desenvolvido por J. Welles Wilder, é um indicador que mede a força da tendência, não importando se de baixa ou de alta. Este oscilador flutua entre 0 e 100, sendo acima de 40 uma tendência forte e abaixo de 20 uma tendência fraca.
Adicionado por: Marcos Moore
Agulhada do Didi: Técnica desenvolvida pelo grafista brasileiro Didi Aguiar.
Adicionado por: Marcos Moore
Abreviação de Análise Técnica. Método de análise do movimento do preço das ações que considera única e exclusivamente informações contidas nos gráficos para determinar a formação de tendências de comportamento do preço da ação.
Adicionado por: Caio Sasaki
São padrões de continuação de tendência que possuem tais características: 1) Um movimento mais forte e objetivo inicial. 2) A correção do movimento. 3) Uma retomada do movimento na direção original.
Adicionado por: Marcos Moore
Inversão dos papéis entre suportes e resistências. Basicamente, topos são zonas de resistência e fundos são zonas de suporte. Porém, ao ocorrer um rompimento de uma resistência, este ponto rompido pode se tornar uma zona de suporte no futuro. O mesmo ocorre no sentido oposto. Uma zona de suporte que foi rompida pra baixo pode se tornar uma nova resistência em um movimento contrário dos preços.
Adicionado por: Marcos Moore
Bandas de Bollinger: Está ligado à volatilidade do papel. Os preços teoricamente devem estar contidos entre a banda superior e a inferior. Durante os períodos de menor volatilidade, estas bandas tendem a se estreitar e se aproximar uma da outra, prenunciando um movimento poderoso. É necessário aguardar o alargamento para sabermos pra qual lado será o movimento. Este indicador é formado por 2 linhas, uma superior e uma inferior. São traçadas a um desvio padrão de distância a partir de uma média móvel.
Adicionado por: Marcos Moore
Também chamado de Candle (vela). Indica os valores mínimos, máximos, de abertura e fechamento, em um determinado período. A principal função deste gráfico é mostrar os sinais de reversão do mercado.


O corpo do candle aponta a diferença entre o valor de abertura e o valor de fechamento do pregão. As sombras indicam os valores máximos (sombra superior) e mínimos (sombra inferior) que o ativo atingiu naquele período.

Adicionado por: Marcos Moore
Também chamado de Candle (vela). Indica os valores mínimos, máximos, de abertura e fechamento, em um determinado período. A principal função deste gráfico é mostrar os sinais de reversão do mercado.


O corpo do candle aponta a diferença entre o valor de abertura e o valor de fechamento do pregão. As sombras indicam os valores máximos (sombra superior) e mínimos (sombra inferior) que o ativo atingiu naquele período.

Adicionado por: Marcos Moore
Commodity Channel Index: Criado por Donald Lambert, este oscilador é composto de duas linhas horizontais denominadas +100 e -100. Funciona da seguinte maneira: se o indicador cruzar de baixo para cima a linha +100, é dada a compra no ativo, que deve ser zerada quando o indicador cruzar novamente para baixo a linha +100. No caso de uma operação vendida, esta deverá ser feita no corte de cima para baixo da linha -100 e deverá ser zerada quando cortá-la novamente para cima.
Adicionado por: Marcos Moore
É caracterizada quando o gráfico apresenta topos e fundos nos mesmos níveis, tornando a tendência do ativo indefinida. Uma congestão pode durar minutos, dias ou semanas.
Adicionado por: Marcos Moore
Contra-Ataque de Alta: Padrão de dois candles. A tendência é de baixa e o primeiro candle do contra-ataque é um candle de queda que mantém os ursos no comando. No segundo dia do contra-ataque, quando ele ocorre, os ursos conseguem abrir o mercado bem mais baixo, com gap de queda, mas este foi um movimento exagerado e eles não vão conseguir se manter por lá.


É um padrão semelhante ao piercing pattern, mas no piercing o segundo candle penetra bastante no primeiro e a característica do Contra-Ataque são dois candles de cores diferentes mas com o mesmo fechamento.


Contra-Ataque de Baixa: Padrão de dois candles. A tendência é de alta e o primeiro candle é um candle de alta. O segundo candle abre em gap de alta, mas, como houve exagero, ele será fechado. A analogia é feita com o Dark Cloud Cover, sendo que no Dark Cloud o segundo candle penetra no primeiro e no Contra-Ataque de Baixa, os dois candles tem o mesmo fechamento.

Adicionado por: Marcos Moore


Corpo do Candle: Diferença entre a abertura e o fechamento dos preços do ativo no período analisado.


Corpo Preenchido: Ou corpo preto. Aponta que o valor de fechamento do mercado foi mais baixo do que o valor de abertura. Exemplo: A ação abriu o pregão cotada a R$ 5,50 e fechou cotada a R$ 5,35


Corpo Vazado: Ou corpo branco. Aponta que o valor de fechamento do mercado foi mais alto do que o valor de abertura. Exemplo: A ação abriu o pregão cotada a R$ 5,35 e fechou cotada a R$ 5,50.

Adicionado por: Marcos Moore
Diferença entre a abertura e o fechamento dos preços do ativo no período analisado.
Adicionado por: Marcos Moore


Corpo Preenchido: Ou corpo preto. Aponta que o valor de fechamento do mercado foi mais baixo do que o valor de abertura. Exemplo: A ação abriu o pregão cotada a R$ 5,50 e fechou cotada a R$ 5,35

Adicionado por: Marcos Moore
Ou corpo branco. Aponta que o valor de fechamento do mercado foi mais alto do que o valor de abertura. Exemplo: A ação abriu o pregão cotada a R$ 5,35 e fechou cotada a R$ 5,50.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle, também chamado de Padrão Nuvens Negras. É um padrão de dois candles que consiste em um sinalizador de reversão após um movimento de alta ou após uma congestão. Vai sinalizar que a alta está por acabar ou que a congestão pode tomar um rumo de queda. O primeiro dia deste padrão produz um corpo de alta forte. No segundo dia, os preços abrem em gap, acima da máxima do dia anterior, mas não conseguem se sustentar. Acabam o dia fechando próximo à mínima dos preços e penetrando bem no corpo do candle do primeiro dia.
Adicionado por: Marcos Moore
O link DDE possibilita puxar cotações diversas e plota-las no excel para realizar estudos e definir parâmetros. Diversas plataformas oferecem esta possibilidade, e em caso de dúvida basta contatar o desenvolvedor de cada plataforma.
Adicionado por: Caio Sasaki
Este indicador utiliza o conceito de movimento direcional. Sinais de compra são gerados quando DI+ cruza pra cima DI-. Sinais de venda são gerados quando DI- cruza pra baixo DI+. O mais importante é que esta ferramenta nos deixa do lado certo do mercado, a favor da tendência dos preços.
Adicionado por: Marcos Moore
Este indicador foi criado pelo grafista brasileiro Odir Aguiar, o Didi, que percebeu um comportamento particular das médias móveis de 3, 8 e 20 períodos. Quando temos as três médias, mantemos a linha da média de oito períodos sempre horizontal. Quando temos uma junção das médias de três e 20 dias em cima da linha da média de oito períodos e a partir desta junção vai uma linha para cada lado, temos uma agulhada. Se a média de três dias sair para cima e a média de 20 dias sair para baixo, temos uma agulhada de compra, se tivermos o contrário, teremos uma agulhada de venda. É importante observar que as agulhadas sempre devem vir acompanhadas de tendência no mesmo sentido da agulhada, segundo o Adx. Caso não haja a tendência, a agulhada não é válida.
Adicionado por: Marcos Moore
Acumulação / Distribuição: Indicador que relaciona preço e volume, tendo por base a ideia de que movimentos significativos são acompanhados pelo volume. Trata-se de uma variação do OBV. Quanto maior o volume que acompanha uma mudança de preços mais significativa será esta mudança.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. Como o nome diz (doji star) forma um dos padrões de estrelas. Ocorre quando em um pregão o preço de abertura é igual ao de fechamento (ou muito próximo deste). Muitas vezes representa uma mudança de tendência, desde que exista uma tendência clara. Funcionam melhor como padrões de reversão de topo do que de fundo. Quando as sombras do doji são muito longas, ele é classificado de doji de pernas longas. Existe também o doji-lápide, quando os preços de abertura e fechamento são na mínima do dia, e o doji-libélula, com preços de abertura e fechamento na máxima do dia.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. O corpo tem de estar na parte superior do candle. A cor do corpo não tem importância. Uma sombra inferior longa deve ser no mínimo o dobro do tamanho do corpo. Não deve ter sombra superior ou, se tiver, que seja bem pequena. O enforcado ocorre após um rally de alta, e indica que o movimento anterior pode estar acabando, Tem este nome pois parece mesmo um homem pendurado com as pernas balançando. O enforcado tem a mesma formação do martelo, a diferença é que o martelo ocorre num fundo e o enforcado num topo.
Adicionado por: Marcos Moore
O Padrão de Engolfo é um sinal de reversão importante composto de candles de cores opostas. O mercado tem de estar em uma tendência definida de alta ou de baixa, ainda que seja um movimento curto. Dois candles compõem o padrão de engolfo. O corpo do segundo candle deve engolfar (ou envolver completamente) o corpo do primeiro candle. Não precisa envolver as sombras, somente o corpo. O corpo do segundo candle do padrão de engolfo deve ser de cor oposta ao primeiro. A exceção a esta regra é quando o primeiro candle é um doji ou quase um doji.
Adicionado por: Marcos Moore
São linhas traçadas a uma distância percentual fixa de uma média móvel. Variando os parâmetros do envelope é possível identificar níveis de preços nos quais correções / reversões são prováveis Envelope do Joe Ross: Medir a amplitude da congestão. Se tiver entre 10 e 25 barras, multiplica-se a diferença entre a linha de suporte e a linha de resistência por 0,146. Se tiver 25 barras ou mais multiplicar por 0,237. O resultado obtido é acrescido ao topo ou diminuído do fundo. Esta técnica serve para evitar perfurações falsas de resistências e suportes.
Adicionado por: Marcos Moore
Desenvolvido por George Lane, por volta de 1950. É um oscilador que mede a capacidade das forças compradoras fecharem o candle em sua máxima e a capacidade das forças vendedoras fecharem o candle em sua mínima. Duas linhas são usadas: uma linha rápida e uma linha mais suavizada através de médias. Este oscilador tem ainda suas regiões de sobrecompra acima dos 80 e de sobrevenda abaixo dos 20. Por ser um oscilador, tende a indicar reversões de tendências com variações bruscas e rápidas. O Estocástico pode se apresentar nas formas lento, pleno e rápido. Os melhores sinais do Estocástico são gerados pela divergência entre os preços e este indicador, mas também pode ser usado no cruzamento do indicador com sua linha de referência.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. As estrelas são um grupo de padrão de reversão. Uma estrela é um candle com corpo bem pequeno que usualmente tem um gap em relação ao candle que a precede. É importante, para ser considerada uma estrela, que não haja interseção entre o corpo da estrela e do candle anterior. A cor do corpo da estrela não tem importância. As estrelas podem ocorrer em topos ou fundos. Nos fundos elas são chamadas de estrelas da manhã e nos topos, de estrelas da tarde. Usualmente, mas nem sempre, as estrelas são um sinal de reversão mais forte nos topos do que nos fundos. Existem basicamente quatro tipos de estrelas: Estrela da Manhã ou Morning Star, Estrela da Tarde ou Evening Star, Doji Star e Shooting Star (estrela cadente).
Adicionado por: Marcos Moore
Este indicador usa proporções matemáticas descobertas por Leonardo Fibonacci no século 12. A série de Fibonacci inicia em 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, e 89, 144 e assim por diante até o infinito. Estes números tem propriedades interessantes: • A soma de dois números consecutivos quaisquer é sempre igual ao próximo número. • A razão entre qualquer número e seu seguinte é sempre 0.618 após o quarto cálculo. • A razão entre qualquer número e seu anterior é sempre 1.618 (inverso de 0.618). O número 1.618 é chamado de Proporção Aurea (de ouro), o Phi Em análise técnica serve para fazer projeções dos preços, definindo áreas de possíveis reversões ou traçando objetivos dos movimentos.
Adicionado por: Marcos Moore
Ou padrões de impulsão. São configurações que impulsionam o mercado a favor de uma tendência. Fundo (topo) duplo, OCO, OCO invertido etc. são figuras de impulsão.
Adicionado por: Marcos Moore
Padrões de continuação de tendência que possuem as seguintes características: • Um movimento mais forte e objetivo inicial. • A correção do movimento. • Uma retomada do movimento na direção original. São formações, em geral, de curta duração (1 a 3 semanas) que surgem com mais frequência em fases de subidas ou de quedas mais bruscas. O volume durante a formação tende a se reduzir, aumentando novamente no ponto de corte. A diferença fundamental entre uma bandeira e uma flâmula é o formato do padrão corretivo da formação. A flâmula é uma bandeira pontiaguda, lembrando bastante um triângulo.
Adicionado por: Marcos Moore
Figura na análise gráfica formada quando uma ação, após sofrer uma queda, volta a subir, formando um vale. Também podemos chamar de fundo o preço mais baixo atingido pelo papel, antes deste ter um repique de alta.
Adicionado por: Marcos Moore
Fundo Duplo ou W: Figura formada por dois fundos, configurando uma zona de suporte. Aponta tendência de alta, quando rompe a linha de resistência.
Adicionado por: Marcos Moore
Figura formada quando um ativo abre acima da máxima do dia anterior ou abre abaixo da mínima do dia anterior. Cria-se, assim, uma área de preços sem negociação no gráfico. Este espaço vazio recebe o nome de gap. Chama-se de “fechar o gap” quando os valores negociados no mercado retornam para o valor do intervalo. Os gaps podem ser de área, de fuga (ou perfuração), de medida (ou de continuação) e de exaustão.
Adicionado por: Marcos Moore
Instrumento que tenta expressar visualmente dados e valores numéricos de um ativo ou índice. Assim, podemos fazer a leitura do fluxo de oferta e demanda e que mostram a tendência do mercado.
Adicionado por: Marcos Moore
Forma de apresentação gráfica onde cada período de atividade de um ativo é representado por uma barra vertical. A abertura (primeiro negócio do dia) será representada por um tique horizontal do lado esquerdo da barra, e o fechamento (último negócio do dia), representado por um tique do lado direito da barra.


Acima e abaixo destes tiques são os preços máximos e mínimos que o ativo alcançou naquele período.

Adicionado por: Marcos Moore
Forma de apresentação gráfica que desconsidera completamente a passagem de tempo e mostra somente as mudanças no preço. O gráfico Ponto & Figura mostra a relação de oferta e procura dos preços. Uma coluna formada de “X” demonstra que a demanda é maior que a oferta (movimento de alta) enquanto uma coluna formada de “O” demonstra que a oferta é maior que a demanda (movimento de baixa); e quando há formações de pequenas colunas alternadas a relação de oferta e procura está relativamente equilibrada.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. O Padrão Harami consiste de um candle de corpo pequeno que está totalmente contido dentro de um candle anterior de corpo grande. Harami é uma palavra antiga em japonês que significa gravidez. A cor dos candles da mãe e do bebê não tem muita importância, mas na maioria das vezes são diferentes. O padrão Harami é o contrário do Padrão de Engolfo.
Adicionado por: Marcos Moore
Traduzindo: Disparador de alta (hi) e baixa (lo, de low). Desenvolvido por Robert Krausz, é um seguidor de tendências muito utilizado para sinalizar entradas e saídas de trades, sempre a favor da tendência. Quando o preço está acima do HiLo Activator, sendo seguido pela linha verde, ele pode ser usado como um stop de compra. Quando os preços estão abaixo do indicador, sendo seguido pela linha vermelha, ele pode ser usado como um stop de venda.
Adicionado por: Marcos Moore
É um dos osciladores mais conhecidos e utilizados pelos analistas gráficos. Ele mede a velocidade da variação do valor do ativo. Sua variação é de 0 ao 100, tendo o nível sobrecomprado acima dos 70 e sobrevendido abaixo dos 30. Seu cálculo é feito da seguinte forma: IFR = 100 – (100/1+(A/B)), Onde A é a média dos preços de fechamento dos dias de alta do período e B é a média dos preços de fechamento dos dias de baixa do período. Este período também varia de acordo com a preferência do usuário, sendo os mais comuns de 9, 14 e 25 períodos, onde quanto menor, mais volátil fica o indicador e vice versa. A principal utilidade desse indicador é a sinalização de divergências altistas e baixistas. Quando temos dois topos ascendentes no gráfico de candles, e no IFR temos dois topos descendentes, temos uma divergência baixista. Em contrapartida, se temos dois fundos descendentes no gráfico de candles, e no IFR tivermos dois fundos ascendentes, teremos uma divergência altista.
Adicionado por: Marcos Moore
Padrões estatísticos que trazem informações sobre tendências do mercado. Divididos em: Rastreadores e Osciladores.
Adicionado por: Marcos Moore
É caracterizada quando o gráfico apresenta topos e fundos nos mesmos níveis, tornando a tendência do ativo indefinida. Uma congestão pode durar minutos, dias ou semanas.
Adicionado por: Marcos Moore
Linha de Tendência de Alta
Adicionado por: Caio Sasaki
O MACD (Moving Average Convergence-Divergence) é um rastreador de tendência. Pode ser apresentado por meio de linha ou histograma. O MACD linha é formado por 2 elementos: Linha MACD e linha de sinal. A linha MACD é composta pela diferença de 2 médias móveis exponenciais, sendo uma de longo prazo e outra de curto prazo. As mais utilizadas são as médias móveis exponenciais de 26 e 12 períodos. O resultado deste cálculo é a uma linha que oscila acima ou abaixo de zero, sem qualquer limite superior ou inferior e que responde às mudanças de preços relativamente rápidas Logo, MACD maior que zero = tendência altista. MACD menor que zero = tendência baixista A Linha de sinal (ou trigger) é formada por uma média móvel exponencial de 9 períodos Os sinais de compra são gerados quando a linha MACD cruza, para cima a linha de sinal. Os sinais de venda acontecem quando a linha MACD cruza para baixo a linha de sinal.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle individual que pode ser tanto altista quanto baixista de acordo com sua posição no gráfico e na tendência. O Marobozu é um candle de corpo longo. Quanto mais longo mais expressivo, e nenhuma sombra ou apenas uma sombra muito pequena. Ele pode ter o corpo branco de alta, ou negro de queda. Quando um Marobozu de corpo branco de alta aparece em um fundo, ou no meio de uma acumulação ele tem implicações altistas. Se a mesma figura ocorre após uma alta, ele será uma figura de reversão de topo. Quando um Marobozu de corpo negro de queda aparece em um topo ou no meio de uma acumulação ele tem implicações baixistas. Se a mesma figura ocorre após uma queda, ele será uma figura de reversão de alta.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. O corpo do martelo tem de estar na parte superior do candle. A cor do corpo não tem importância. Uma sombra inferior longa deve ser no mínimo o dobro do tamanho do corpo. Não deve ter sombra superior, ou uma muito pequena. O martelo ocorre após um movimento de baixa, em um fundo. Esta é a diferença pra outra figura muito similar: o enforcado, que ocorre no fim de uma alta, em um topo.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. Um martelo invertido é semelhante a uma shooting star pois também possui corpo pequeno e uma longa sombra superior. A diferença é que a shooting star é um padrão de reversão de topo e o martelo invertido é um padrão de reversão de fundo. Assim como o martelo regular, o martelo invertido é um sinal de alta após uma queda, ainda que de menor intensidade. A cor do corpo do martelo invertido não faz diferença, ainda que alguns prefiram um com corpo branco (de alta).
Adicionado por: Marcos Moore
Este oscilador momentum mede a velocidade do movimento direcional dos preços. Quando os preços sobem até determinado ponto o mercado é considerado sobre-comprado. No sentido contrário, sobre-vendido. Em ambos os casos, a reação ou reversão é iminente. A inclinação do momentum é diretamente proporcional à velocidade do movimento. O momentum age como um indicador da velocidade do mercado e, de certa forma, também pode ser útil na identificação de possíveis pontos de reversão.
Adicionado por: Marcos Moore
Indicador utilizado para verificar a existência ou não de uma tendência no mercado. Composto por três linhas, uma contínua (ad+), uma tracejada (ad-) e uma pontilhada (adx). A tendência é indicada pelas linhas contínua e tracejada, sabendo que quando temos a linha contínua por cima indicamos uma tendência de alta e vice-versa. A linha pontilhada serve para medir a aceleração da tendência, obviamente somente quando esta tendência existir. A ausência de tendência se dá quando temos a linha pontilhada abaixo das outras duas ou quando a linha pontilhada estiver caindo e tiver valor menor ou igual a 32.
Adicionado por: Marcos Moore
Médias móveis - Média de uma série de dados sequenciais num dado espaço de tempo. Exemplo: Média móvel de 21 períodos se refere ao preço médio do fechamento dos últimos 21 períodos. É um dos indicadores mais populares que existe, cujo principal objetivo é apontar a tendência básica dos preços. As mais usadas são as simples (ou aritméticas) e as exponenciais.
Adicionado por: Marcos Moore
Também chamado de linha de pescoço, é o suporte que define o gatilho do ombro-cabeça-ombro (OCO) ou ombro-cabeça-ombro invertido (OCOi)
Adicionado por: Caio Sasaki
Ou Saldo de Volume, é um popular indicador utilizado em análise técnica publicado por Joe Granville em 1963. Este indicador baseia-se no conceito básico de que o volume precede o preço da ação, sendo utilizado para aferir o fluxo positivo ou negativo do volume. O OBV é um indicador de momento e relaciona o volume com as mudanças de preços. O cálculo do OBV é simples: 1) Quando o preço da ação fecha o período em baixa, o valor do volume do período é subtraído ao indicador. 2) Quando o preço da ação fecha o período em alta, o valor do volume do período é somado ao indicador. 3) Quando o preço da ação é estável durante o período, o volume do período não é adicionado nem subtraído do indicador.
Adicionado por: Marcos Moore
Significa ombro-cabeça-ombro. Figura de baixa. O padrão tem início quando o mercado está em tendência de alta e sofre uma leve correção durante o caminho, caracterizando o primeiro ombro. Em seguida da queda, o ativo volta a subir e encerra o movimento em um topo mais alto do que o primeiro, formando a cabeça do O-C-O. Após esse novo topo, o mercado volta a cair e faz um fundo em linha com o primeiro ombro. Está formado o segundo ombro. Diante do padrão praticamente formado, traça-se uma linha de suporte ligando os dois fundos dos ombros, denominada linha do pescoço. A confirmação do padrão se dá com a penetração desta linha.
Adicionado por: Marcos Moore
Significa  Ombro – Cabeça – Ombro Invertido. Figura de alta. O ativo vem de uma tendência de queda forte, faz um fundo e se recupera, caracterizando o primeiro ombro. Após esta ligeira alta, recua até formar novo fundo, abaixo do primeiro ombro, formando a cabeça da figura. A partir desta região, sobe até a linha do primeiro ombro, onde sofre nova correção e forma o segundo ombro.
Adicionado por: Marcos Moore
Indicador que traz informações sobre possíveis exaustões e/ou reversões do mercado. É usado quando temos um mercado sem tendência definida, o chamado "andando de lado". Um oscilador pode assumir o estado sobrecomprado (nível muito alto) ou sobrevendido (nível muito baixo). Os osciladores fornecem seus melhores sinais quando há uma divergência em relação aos preços.


Oscilador Sobrecomprado:Demonstra que o indicador está em um nível excessivamente alto, pronto para virar para baixo, mesmo que momentaneamente. É importante saber que um oscilador pode ficar sobre-comprado por dias ou até semanas, quando uma forte tendência de alta se desenvolve.


Oscilador Sobrevendido: Demonstra que o indicador está em um nível excessivamente baixo, pronto para virar para cima, mesmo que momentaneamente. É importante saber que um oscilador pode ficar sobre-vendido por dias ou até semanas, quando uma forte tendência de baixa se desenvolve.

Adicionado por: Marcos Moore
Indicadores que trazem informações sobre possíveis exaustões e/ou reversões do mercado. São usados quando temos um mercado sem tendência definida, o chamado "andando de lado". Um oscilador pode assumir o estado sobre-comprado (nível muito alto) ou sobre-vendido (nível muito baixo). Os osciladores fornecem seus melhores sinais quando há uma divergência em relação aos preços.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle. É o contrário do Dark-Cloud Cover. Assim como o Dark-Cloud Cover é um padrão de reversão de topo, o Padrão Piercing é um padrão de reversão de fundo com a mesma formação, só que ao contrário. É composto de dois candles após uma queda do mercado. O primeiro candle acontece em um dia de queda e tem o corpo negro. O segundo candle abre abaixo da mínima do dia anterior, depois os preços sobem criando um candle de alta (branco) que fecha acima do meio do corpo do candle do dia anterior.
Adicionado por: Marcos Moore

Na década de 50, os traders de chão de Chicago começaram a utilizar um método que se espalhou rapidamente entre os traders. Não se sabe com certeza quem foi o real autor dessa técnica que consiste na observação de que os preços de um ativo durante o dia ficam na maior parte dos pregões, oscilando em torno de um número especifico.

Teoria utilizada para determinar níveis de suporte e resistência:
Ponto Pivot = Média (Mx, Mn e Fc)
Resistência 1 = (2 * PP) – Mn
Suporte 1 = (2 * PP) – Mx
Resistência 2 = PP + (Res. 1 – Sup. 1)
Suporte 2 = PP - (Res. 1 – Sup. 1)
Resistência 3 = PP + (Res. 2 – Sup. 2)
Suporte 3 = PP - (Res. 2 – Sup. 2)

Adicionado por: Caio Sasaki
Movimento de correção (de retorno) contra uma tendência do mercado. Em uma tendência de alta, após o rompimento de uma resistência, pode ocorrer um pull-back até este nível, que agora será testada como suporte. Em uma tendência de baixa, após a perda de um suporte, pode ocorrer um pull-back até este nível, que agora será testado como resistência. Também é escrito "pullback"
Adicionado por: Marcos Moore
Termo utilizado no mercado para definir um forte e duradouro movimento de alta. Pode ser em dias consecutivos ou mesmo períodos consecutivos (por exemplo, 10 candles de 15 minutos de alta).
Adicionado por: Caio Sasaki
Termo utilizado no mercado para definir um forte e duradouro movimento de alta. Pode ser em dias consecutivos ou mesmo períodos consecutivos (por exemplo, 10 candles de 15 minutos de alta).
Adicionado por: Caio Sasaki
Os rastreadores são estudos que indicam e monitoram o desenvolvimento de uma tendência e são usados para ajudar o investidor a se manter posicionado enquanto o mercado não mostrar fraqueza ou mudança desta tendência. Esses rastreadores são muito úteis para evitar que o investidor se posicione contra o mercado.
Adicionado por: Marcos Moore
Níveis de preços onde as vendas feitas pelos participantes do mercado têm o poder de interromper, e talvez reverter, um movimento de alta.
Adicionado por: Marcos Moore
Positiva: Quando o preço da ação sobe pouco, mas o IFR tem forte movimento de alta, ficando sobrecomprado. Esse descompasso entre o preço e o IFR sinaliza força vendedora.


Negativa: Quando o preço da ação cai pouco, mas o IFR tem forte movimento de queda, ficando sobrevendido. Esse descompasso entre o preço e o IFR sinaliza força compradora.

Adicionado por: Marcos Moore
Relative Rotation Graph
Adicionado por: Caio Sasaki
Sistema desenvolvido por J. Welles Wilder Jr. É assim chamado porque o seu padrão, durante uma tendência, é semelhante a uma parábola. Trata-se de um sistema de reversão, feito para mantê-lo permanentemente no mercado, mas pode ser usado como rastreador de tendência, e também como definidor de estopes de entrada e saída.
Adicionado por: Marcos Moore
Critério ou sistema de entrada e saída de uma operação.
Adicionado por: Marcos Moore
Tipo de candle de corpo pequeno (que pode ser de alta ou de baixa, tanto faz, o que importa é que seja pequeno) e uma longa sombra superior. Acontece nos topos. A shooting star (estrela cadente) nos diz que o mercado abriu, fez um forte ralí de alta, mas no final enfraqueceu e fechou próxima a abertura. Em outras palavras, o ralí não conseguiu se sustentar. Uma shooting star ideal tem um gap de alta entre o candle anterior e o corpo da shooting star. Mas este gap não é imprescindível. A shooting star ideal não apresenta sombra inferior, mas se for bem pequena é aceitável. Um candle em forma de shooting star, mas em um fundo, se chama martelo invertido.
Adicionado por: Marcos Moore
Picos de alta e de queda dentro de um período de tempo. Sombra superior é a diferença entre a máxima do período e a máxima do corpo do candle. Sombra inferior é a diferença entre a mínima do período e a mínima do corpo do candle.
Adicionado por: Marcos Moore
Ferramenta essencial para quem usa Análise Técnica. Significa interromper uma posição perdedora quando os preços ficam abaixo de um valor pré-determinado pelos traders (stop loss); encerrar a posição assim que o trade atinge o objetivo de ganho (stop gain); ou emitir uma ordem automática de compra em um valor acima do atual (stop de compra). Em algumas corretoras o stop de compra recebe o nome de ordem start.
Adicionado por: Marcos Moore
Níveis de preços onde as compras feitas pelos participantes do mercado têm o poder de interromper, e talvez reverter, um movimento de queda.
Adicionado por: Marcos Moore
A tendência de alta de um ativo é verificada com a formação de topos e fundos ascendentes em seu gráfico. A tendência de baixa de um ativo é verificada através da formação de topos e fundos descendentes em seu gráfico.
Adicionado por: Marcos Moore
Maior cotação já atingida por um determinado ativo, a máxima de todos os tempos.
Adicionado por: Marcos Moore
Nível de preço mais alto atingido, seguido por uma queda. Para melhor visualizar, seria como o cume de uma montanha.
Adicionado por: Marcos Moore
Topo Duplo ou M : Figura formada por dois topos, numa formação parecida com a letra M. Indica tendência de queda, quando rompe a linha de suporte.
Adicionado por: Marcos Moore
Maior cotação já atingida por um determinado ativo, a máxima de todos os tempos.
Adicionado por: Marcos Moore
Indicador momentum usado principalmente para filtrar ciclos irrelevantes, em momentos em que o ADX não indica tendência no mercado, por exemplo. Utilizado também para identificar reversões e divergências.
Adicionado por: Marcos Moore
Triângulo ascendente: figura formada por topos testando a mesma resistência, mas sem rompê-la, e fundos ascendentes. Seu rompimento é dado ao superar a resistência já previamente testada. Triângulo Descendente: Figura baixista formada por fundos testando o mesmo suporte, mas sem o romper, e topos descendentes. Seu rompimento é dado ao perder o suporte já previamente testado. Triângulo Simétrico: Figura formada através de um afunilamento dos candles ou barras no gráfico, notado por meio de topos descendentes e fundos ascendentes.
Adicionado por: Marcos Moore
Gíria na análise técnica que define os falsos rompimentos, ou seja, o movimento é suficiente para estimular a abertura de posição por parte do trader para, em seguida, se mover para o lado oposto, forçando o stop.
Adicionado por: Caio Sasaki
Importante indicador que ajuda a confirmar ou não o que está acontecendo no preço. Serve para identificar padrões de reversão ou continuação, suportes e resistências, linhas de tendência e figuras gráficas O volume quantidade mostra o volume em quantidade de títulos negociados em um período de tempo. O volume financeiro mostra a quantidade de dinheiro gerada pelas negociações em um período de tempo.
Adicionado por: Marcos Moore
Desenho do movimento dos preços, caracterizado pelas subidas e quedas de cada ativo. Pode ser ascendente (tendência de alta), descendente (tendência de baixa) ou lateral (tendência indefinida).
Adicionado por: Marcos Moore